Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Recrutadores de grandes empresas buscam habilidade que menos de 1% dos profissionais têm; veja qual
Movimentando mais de US$35 trilhões, um dos mercados que mais cresce no Brasil busca profissionais com 3 habilidades específicas, mas não encontra profissionais; descubra como se qualificar para as vagas
Por Exame | Tempo de leitura: 3 min
(KatarzynaBialasiewicz/Thinkstock)

Em 1992, o Rio de Janeiro recebeu a Conferência ECO-92, a primeira Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, que discutiu o que viria a se tornar mais tarde o assunto mais falado entre grandes empresas e CEOs de sucesso.

Desde então, companhias e gestores começaram a entender a importância da sustentabilidade nos negócios e, mais do que isso, a perceber que os seus negócios estariam fadados ao fracasso se não houvesse investimento em uma simples, mas poderosa, sigla: ESG.

Esse movimento fez com que se iniciasse uma verdadeira corrida em busca de profissionais capacitados para aplicar as estratégias ESG dentro das empresas. A demanda aumentou e, mesmo com a intensa procura por especialistas, a oferta ainda não é suficiente para preencher todas as vagas disponíveis para este profissional no mercado.

Afinal, qual é a habilidade mais buscada pelos recrutadores e como concorrer às vagas disponíveis na área com vantagem?

O que é ESG e por que as empresas estão em busca de profissionais?

ESG é a sigla para as questões ambientais, sociais e de governança que têm ganhado cada vez mais visibilidade por conta da preocupação crescente do mercado financeiro sobre a sustentabilidade dos negócios.

Vivemos um momento em que a sociedade está cobrando posicionamento e atitude das companhias frente aos problemas que enfrentamos e as empresas estão cultivando novos valores para que as suas operações não se resumam apenas à geração de lucro.

Quando bem seguidas, as práticas ESG impressionam investidores e clientes, garantindo que a empresa aumente seus lucros ao mesmo tempo em que gera valor para a sociedade. É o caso de empresas como Ambev, Vale, Natura, Boticário, Ambipar e Apple, por exemplo, que já implementaram ações ESG e colheram bons frutos disso.

Na prática, todas as questões relacionadas à: uso eficiente de água, emissão de carbono, direito do trabalhador, gestão de resíduos, diversidade, saúde dos funcionários, transparência fiscal, gestão de risco etc. são responsabilidade do profissional ESG.

E que investidor não gostaria de investir em uma empresa que se preocupa com todos esses aspectos de forma especial?

Só no Brasil, as startups de sustentabilidade, chamadas de greentechs, receberam mais de US$ 532,4 milhões de dólares em aportes de investidores em 2021. Já a Raízen, maior produtora de etanol do país, realizou um IPO de R$ 100 bilhões depois de adotar uma estratégia baseada nos princípios de ESG.

Ao perceberem que empresas que adotam as diretrizes ESG têm um desempenho financeiro melhor, milhares delas estão procurando profissionais capazes de ajudá-las a fazer isso da forma correta.

As habilidades ESG são as mais buscadas por recrutadores

De acordo com um levantamento de 2020 do grupo global de capacitação profissional CFA Institute que analisou 1 milhão de contas na plataforma LinkedIn, o percentual de profissionais que tinham qualificação na área de ESG era menos de 1% dos perfis.

Ao mesmo tempo, centenas de vagas nacionais e internacionais estão abertas há meses – e sem previsão para serem preenchidas.

Na prática, as “habilidades ESG” que estão sendo tão buscadas se resumem a: inovação, gestão de stakeholders e conhecimento aprofundado em ESG.

Ou seja, os recrutadores estão em busca de profissionais que consigam pensar “fora da caixa” e implementar o que há de mais inovador nas suas empresas. Além disso, que tenham a capacidade de ouvir todos os lados (desde fornecedores e clientes, até os próprios funcionários) para entender as demandas de cada área e chegar em um consenso e, é claro, que dominem o conceito ESG e saibam estruturar um programa de boas práticas que funcione.

O que é preciso para ingressar no mercado ESG?

Para ingressar no mercado ESG é preciso, unicamente, dominar as 3 habilidades essenciais de um profissional ESG. Não é necessário experiência prévia ou formação na área, mas sim a vontade de trabalhar com propósito e a vontade de, cada vez mais, buscar conhecimento na área.

Hoje, o melhor caminho para ingressar nesse mercado é através de especializações, como cursos livres, MBAs e imersões.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.