Scroll Top
Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Quer trabalhar em Portugal? Veja como ser recrutado direto do Brasil
País europeu busca por profissionais brasileiros em áreas específicas. Entenda como funciona o processo
Por Exame | Tempo de leitura: 4 min
(Leandro Fonseca/Exame)

Uma nova parceria pode ajudar profissionais brasileiros a conseguirem um trabalho em Portugal. A Move, legaltech portuguesa que atua com mobilidade profissional, fechou parceria com três consultorias no Brasil de recrutamento e seleção: Somos Hub (São Paulo), HUNTINTI (Rio de Janeiro) e Grow Group (Pernambuco).

“A união visa resolver um problema grande em Portugal: a falta de recursos humanos”, diz Renato Martins, Ceo da Move.

Atualmente em Portugal, devido ao verão, há 45 mil oportunidades de trabalho para o setor de turismo, segundo a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

“Só Lisboa recebe cinco vezes mais turistas que o Brasil todo. É um fluxo de turismo muito grande e as empresas não têm como contratar. Há restaurantes fechados em Algarve porque não tem mão de obra. E todo o verão isso se repete”, afirma Martins.

Como vai funcionar a parceria?

A ideia da parceria é recrutar profissionais e facilitar o trâmite legal. Para isso, o processo é dividido em duas etapas:

  • O processo começa com as recrutadoras brasileiras analisando os perfis de acordo com as vagas que as empresas em Portugal estão ofertando. O profissional que for aprovado no processo seletivo pela empresa portuguesa, passará para a segunda fase;
  • Nesta segunda etapa, a Move cuidará de todo os trâmites jurídicos para facilitar a mobilidade, como visto e autorização de residência.

“É um trabalho a quatro mãos. O foco das agendas é trazer pessoas qualificadas de acordo com a falta de mão de obra em Portugal. Essas recrutadoras têm o desafio de entender os mercados locais e como esses profissionais buscam essas oportunidades. Nós, ajudamos com o processo dos vistos e todo o trâmite legal português.”

Por que Portugal chama tanto a atenção dos brasileiros?

Há três razões que atrai brasileiros para Portugal: segurança, qualidade de vida e idioma.

“Portugal sempre figura entre os países mais seguros do mundo. No ranking deste ano ele está em 7º lugar”, diz o CEO da Move.

Martins comenta que apesar de não ser um país onde a pessoa terá mais chances para juntar riqueza, é um lugar que estimula a qualidade de vida e garante direitos como saúde e educação de qualidade:

“A Europa em si tem um estilo de vida com balanço entre a vida cultural, familiar e o trabalho. As pessoas da geração Z e Y já buscam essa nova forma de viver. Existe um equilíbrio entre o trabalho e a vida, e em Portugal o sistema de saúde e educação são muito eficientes.”

Qual é o maior desafio para contratar um brasileiro?

Burocracias (como processar vistos e autorização de residência), são os maiores desafios para quem quer se mudar para Portugal, segundo Martins.

“Muitas vezes a empresa portuguesa precisa de um talento em 15 dias, e a burocracia não permite que esse talento esteja em Portugal neste tempo. Essa parceria com as recrutadoras brasileiras ajudará neste processo.”

Como o brasileiro pode evitar “entrar em roubadas” em Portugal?

A roubada mais usual, segundo o CEO da Move, é a pessoa imaginar que pode ir para a Europa sem planejamento e sem informação. “É muito importante entender os requisitos de cada visto, além dos requisitos econômicos.”

Para realizar essa transição de nação, o CEO destaca três pontos para os futuros profissionais estrangeiros:

  • 1º – Vistos e autorização de residência: é muito importante entender os requisitos de cada visto e apostar no que te dá mais chances;
  • 2º – Parte trabalhista: é necessário saber as regras trabalhistas que estão em jogo em cada setor, para não se frustrar;
  • 3º – Entender as regras fiscais: você não vai receber o salário anual de forma integral, a pessoa terá que pagar tributos ao estado.

“Cada país constrói sua legislação de atração de talentos e investimentos de acordo com a sua necessidade econômica. Portugal está hoje muito focado na área tecnológica, por exemplo. Profissionais dessa área tem facilidade de conseguir um emprego.”

Quais são os vistos que o cidadão estrangeiro pode adquirir?

Os vistos dão oportunidade ao cidadão estrangeiro residir, trabalhar e/ou estudar, e em Portugal há seis possibilidades:

  • Visto para procura de trabalho (art 57-A);
  • Visto para exercício de atividade profissional subordinada (art 59);
  • Visto para exercício de atividade profissional independente (art 60);
  • Visto para profissional altamente qualificado (art 61 e 61-A);
  • Visto para Nômades Digitais, (art 61-B);
  • Visto para estudo/estágio/voluntariado, (art 62).
Houve alterações na política de imigração?

A demanda de brasileiros que buscam por vistos de residência em Portugal vem aumentando consideravelmente nos últimos anos, e, segundo Martins, as políticas para a imigração estão cada dia mais convidativas.

“Desde 2019, Portugal atrai profissionais altamente qualificados em tecnologia pelo programa Tech Visa. Ainda, as mais recentes alterações à lei dos estrangeiros, no início de 2023, motivaram ainda mais os brasileiros, com o visto para procura de trabalho.”

Quais áreas mais são requeridas em Portugal?

Tecnologia: todo o tipo de trabalho com ligação com desenvolvimento, programação e vendas em empresas e processos de tecnologia (são os candidatos ao visto Tech Visa).

“A formação nesta área de tecnologia é importante, mas os anos de experiências contam mais. há um desejo de transformar Portugal em um hub tecnológico (num polo de difusão) português para a Europa”.

Serviços: todo o verão há déficit de profissionais de hotelaria e turismo.

“A associação de hotéis e turismo faz um cálculo todos os anos para avisar o governo sobre a necessidade de contratar pessoas nem que seja de forma sazonal. E trata-se de uma área onde o inglês é importante, porque em Portugal o turismo é muito internacional.”

Construção civil: há déficit também de mão de obra de engenheiros. “A demanda por construção de hotéis aqui em Portugal está muito alta e surpreende a cada ano”.

Além de causar um impacto no mercado de trabalho português, o CEO da Move reforça que a parceria com as recrutadoras brasileiras tem como objetivo contribuir para profissionais cada vez mais completos e internacionais:

“Ter uma carreira internacional é o que chamamos aqui de força de trabalho global. Nossa parceria mostra que hoje há oportunidades fora do Brasil que podem alavancar a sua carreira, mas é preciso planejamento e qualificação”, diz Martins.

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.