Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Quem tem direito a receber por horas de sobreaviso?
Advogado trabalhista explica como funciona o regime de trabalho de sobreaviso
Tempo de leitura: 2 min


(By lijing/Getty Images)

Sobreaviso é o regime de trabalho no qual o empregado permanece em sua residência ou outro local de sua escolha aguardando um chamado do empregador para convocá-lo ao trabalho.

Trata-se, portanto, de um regime de plantão durante o qual o profissional não estará efetivamente trabalhando, mas pode ser acionado a qualquer momento para assumir seu posto de trabalho.

Inicialmente o sobreaviso foi previsto somente para os ferroviários, mas a prática e a Justiça do Trabalho estenderam sua aplicação a qualquer atividade. Como exemplo pode ser citado o profissional de manutenção de rede elétrica ou telefônica, que somente é requisitado ao serviço quando surge alguma ocorrência.

Assim, o regime de sobreaviso implica uma limitação na liberdade de locomoção do empregado. Isso porquê ele deverá estar pronto para a qualquer momento dar início à sua atividade laboral, que poderá ocorrer no próprio estabelecimento do empregador ou em qualquer outro lugar.

Além da restrição de sua liberdade de locomoção, o trabalhador não consegue se desligar totalmente do trabalho, já que tem que estar sempre atento caso surja alguma chamada.

Por tais razões, no período em que o empregado se mantém em sobreaviso, ou seja, aguardando ser acionado para o trabalho, ele receberá o valor correspondente a 1/3 de seu salário ou valor superior definido em convenção ou acordo coletivo. Se, contudo, for chamado para efetivamente exercer sua atividade, receberá o valor normal do salário durante esse período.

Dessa forma, o sobreaviso exige que haja algum tipo de comunicação entre o empregador e o empregado para que possa ocorrer a chamada ao trabalho, que poderá ser feita por telefone, BIP, aplicativos ou qualquer outro.

Apesar disso, o simples uso desses instrumentos tecnológicos pelo trabalhador não é suficiente para caracterizar o sobreaviso.

Se o empregado fora de sua jornada de trabalho permanece em sua casa, mas não se encontra em regime de plantão, no qual pode ser acionado a qualquer momento a voltar ao trabalho, ainda que mantenha alguma forma de contato com a empresa por meio de instrumentos tecnológicos, não haverá regime de sobreaviso.

Para tanto é preciso que haja certa restrição na liberdade de locomoção do trabalhador, que se configura pela possibilidade de ser chamado a exercer sua atividade.

Por Marcelo Mascaro, sócio do escritório Mascaro Nascimento Advocacia Trabalhista

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.