Scroll Top
Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Quando a empresa dispensa o empregado por justa causa, precisa falar o motivo?
A dispensa por justa causa é a penalidade aplicada pelo empregador ao empregado que comete falta considerada grave o suficiente para romper o elo de confiança entre eles, explica advogado
Por Exame | Tempo de leitura: 2 min
(Thinkstock/Thinkstock)

A dispensa por justa causa é a penalidade aplicada pelo empregador ao empregado que comete falta considerada grave o suficiente para romper o elo de confiança entre eles, tornando a continuidade do contrato de trabalho insustentável, ou que comete faltas de menor gravidade, mas de forma reiterada e sem corrigir sua conduta após sofrer punições mais leves.

Quais situações justificam a demissão por justa causa

As situações que permitem a empresa a dispensar o trabalhador por justa causa são apenas aquelas listadas na lei.

Alguns exemplos são:

  • ato de improbidade;
  • desídia no desempenho das funções;
  • indisciplina;
  • insubordinação;
  • abandono de emprego;
  • entre outros.
É obrigatório avisar o motivo da demissão por justa causa?

Ao contrário da dispensa sem justa causa, em que o empregador não precisa dizer o motivo do término do contrato de trabalho, na por justa causa é indispensável indicar a infração cometida pelo trabalhador que levou a empresa a tomar essa decisão.

Assim, deve ser comunicada ao trabalhador, inclusive por escrito, a conduta praticada por ele que levou à justa causa.

Apesar disso, em hipótese alguma deve ser a justa causa anotada em sua carteira de trabalho. Caso isso ocorra a empresa poderá ser condenada a indenizar por dano moral o trabalhador.

Além do ato praticado pelo empregado, a empresa também deve informar em qual das infrações previstas na lei como motivadoras da justa causa ela se enquadra.

Por exemplo, o empregado que não cumpre as ordens de seu chefe será dispensado por insubordinação.

Quem comete furto contra o patrimônio da empresa, por sua vez, pratica ato de improbidade.

Qual é a diferença da demissão convencional para a feita por justa causa?

Se o trabalhador é dispensado por justa causa sem ter sido informado da falta que teria cometido, considera-se que a demissão foi sem justa causa e ele terá direito a receber todas as verbas rescisórias como tal.

Já se a empresa informa o motivo, mas se equivoca no momento de seu enquadramento legal, a justa causa continua sendo válida. Por exemplo, o trabalhador furta objetos da empresa e é dispensado por insubordinação, quando o enquadramento correto seria improbidade.

Desde que a conduta faltosa tenho sido corretamente indicada e ela possa ser enquadrada como uma das hipóteses de justa causa prevista na lei, a dispensa continuará sendo válida.

Por Marcelo Mascaro, sócio do escritório Mascaro Nascimento Advocacia Trabalhista

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.