Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

Professor indica o que fazer para destravar de vez e falar bem em público


No dia a dia corporativo, a apresentação em público pode ser fator decisivo na carreira de muitos executivos. Por isso, dominar alguns recursos na linguagem implicará resultados ainda mais bem-sucedidos.

1. Fala

De acordo com o dicionário, linguagem representa o conjunto de sinais falados, escritos ou gesticulados de que se serve o homem para exprimir esses pensamentos e sentimentos.

A língua falada – diferentemente da língua escrita – possui meios como gestos, postura, expressões faciais.
Um executivo cuidadoso está sempre aperfeiçoando esses elementos: é estratégico com os gestos; tem consciência de suas expressões faciais; exercita pronúncia e norma gramatical; tem postura segura diante do produto (tema, ideia) apresentado.

2. Gestos

O movimento do corpo, das mãos, braços, cabeça e olhos consegue muito: agredir, ansiar, ofender, convencer, convidar, humanizar.

Sempre que possível, procure gravar imagem e áudio de sua apresentação. Repare como seu corpo comunica-se com o público; reflita se você mesmo se sentiria convencido diante do exposto.

Lembre-se: ter palestra agradável é consequência de hábito, ousadia, determinação e estudo sobre o produto, a empresa, a ideologia.

3. Voz

Quantas vezes você já ouviu isto: “Odeio gravar áudio! Não gosto da minha voz!”

Se o dono da voz não gosta dela, imagine – então – o cliente. Por isso, trabalhá-la, lapidá-la é fundamental.

O trabalho de um fonoaudiólogo é capaz de verdadeiros milagres a quem precisa das cordas vocais.

DICA: em meu telefone celular, tenho instalado um gravador. Costumo gravar tudo o que escrevo. Ouço diversas vezes; repasso o conteúdo a conhecidos e fico atento a todas as críticas.

4. Gramática normativa é poder

Expor com clareza, fazer questão das concordâncias e regências, sinalizar consciente com o acento grave, usar bem os pronomes oblíquos e relativos, vírgulas e verbos: investir no conhecimento gramatical é investir num futuro promissor.

Quem conhece, por exemplo, as “armas” dos pronomes relativos e conjunções evita repetições, dá fluidez à mensagem.

No entanto, é preciso cuidado para não deixar o discurso com preciosismo, uma vez que isso tornará o falante antissocial. O objetivo é ser simples, didático e agradável.

Um abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

Escrito por Diogo Arrais
YouTube: MesmaLíngua
Autor Gramatical pela Editora Saraiva
Professor de Língua Portuguesa

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.