Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

Os 10 países do mundo onde o trabalho é mais feliz

exame

O relatório da pesquisa Global Workforce Happiness Index realizada pela Universum traz um dado inusitado sobre a rotatividade profissional: em 2018 o número de profissionais que vão trocar de empregador no mundo terá um acréscimo de 49 milhões de pessoas na comparação com o ano de 2012. A rotatividade projetada é de 192 milhões de pessoas, o que torna retenção de talentos um assunto tão estratégico quanto urgente.

Neste cenário, o nível de felicidade dos profissionais é um importante termômetro para as empresas e para medi-lo a equipe da Universum criou um índice que leva em conta três aspectos: satisfação, disposição dos funcionários para recomendar o empregador atual e a probabilidade de mudança de emprego num futuro próximo. Participaram da pesquisa mais de 250 mil profissionais de 55 países. Desse cálculo partiram quatro possíveis classificações para o nível de felicidade de cada funcionário:

1. Encalhado: funcionário que está insatisfeito no trabalho mas desmotivado para trocar de emprego.

2. Inquieto: profissional satisfeito no trabalho e que até recomendaria o empregador atual, mas está aberto a novas oportunidades.

3. À procura de emprego: insatisfeito, com vontade de trocar de emprego e que não recomendaria o empregador.

4. Realizado: satisfeito, positivo em relação ao empregador atual e sem vontade de trocar de emprego agora.

Confira nas fotos os 10 países que mais têm profissionais dentro da classificação “realizado” e com os mais altos índices de felicidade:

[slider slider_height=”450″ image_resize=”false” image_crop=”true” flex_slider_effect=”slide” slider_timeout=”60″]
[slide title=”Bélgica” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/4/533673/size_810_16_9_praca_em_bruxelas_na_belgica.jpg” link=””]Índice de felicidade: 33,41
Mais de 30% dos profissionais não estão dispostos a mudar de emprego e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Noruega” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2014/11/518938/size_810_16_9_lofoten-noruega.jpg” link=””]Índice de felicidade: 32,32
Mais de 25% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 7 e 7,5, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Costa Rica” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/11/592474/size_810_16_9_costa-rica.jpg” link=””]Índice de felicidade: 31,98
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 7 e 7,5 na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Dinamarca” img_url=”http://assets0.exame.abril.com.br/assets/images/2012/10/71549/size_810_16_9_copenhagen.jpg” link=””]Índice de felicidade: 31,53
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está por volta de 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”África do Sul” img_url=”http://assets1.exame.abril.com.br/assets/images/2014/6/498757/size_810_16_9_6-cape-town_-south-africa-_.jpg” link=””]Índice de felicidade: 31,51
Cerca de 30% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está por volta de 6,5, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Áustria” img_url=”http://assets1.exame.abril.com.br/assets/images/2014/8/506875/size_810_16_9_viena-austria.jpg” link=””]Índice de felicidade: 30,4
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Suíça” img_url=”http://assets1.exame.abril.com.br/assets/images/2015/6/538938/size_810_16_9_suica.jpg” link=””]Índice de felicidade: 30,35
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está perto de 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Grécia” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/10/589774/size_810_16_9_grecia-atenas.jpg” link=””]Índice de felicidade: 30,31
Por volta de 25% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8. O relatório da Universum destaca que economias em crise, como é o caso da Grécia, tendem a gerar menos oportunidades de carreira o que consequentemente acarreta mais lealdade dos profissionais aos empregadores atuais.[/slide]
[slide title=”República Tcheca” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/6/538943/size_810_16_9_praga.jpg” link=””]Índice de felicidade: 30
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Rússia” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/6/539039/size_810_16_9_moscou-russia.jpg” link=””]Índice de felicidade: 29,93
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[/slider]

Notícias relacionadas

Deixe um comentário