Scroll Top
Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Na contramão das demissões, Contabilizei abre primeiro escritório em São Paulo e segue contratando
Depois de crescer o número de funcionários em 132%, empresa de contabilidade inaugurou um novo escritório na Avenida Paulista. Mesmo em meio à seca de investimentos nas startups, companhia diz que está otimista com 2023
Por Exame | Tempo de leitura: 3 min
(Contabilizei/Divulgação)

A Contabilizei, startup de contabilidade para micro e pequenas empresas, acaba de inaugurar o seu primeiro escritório na capital paulista. A sede, localizada no coração de São Paulo, na Avenida Paulista, é o segundo endereço físico da Contabilizei, fundada em Curitiba, em 2014.

“Desde 2018 tínhamos uma operação em São Paulo localizada em um coworking. Chegamos a procurar um espaço próprio há cerca de três anos, mas veio a pandemia e, com isso, tivemos que suspender os planos”, afirma Guilherme Soares, vice-presidente de Growth da Contabilizei.

O que não foi suspenso durante esse período foram as contratações na startup: desde então, a equipe dos funcionários da Contabilizei aumentou 132% e hoje conta com 1086 pessoas sendo que, destas, mais de 400 ficam em São Paulo.

Com o aumento do time veio a necessidade de ter um espaço próprio com a “cara” da startup. Mas a ideia não é que os funcionários trabalhem presencialmente todo o tempo e, por isso, o escritório de quase 1150 metros quadrados possui apenas 98 estações de trabalho.

“Desde antes da pandemia possuíamos o modelo de trabalho híbrido. O que mudou é que antes ele não funcionava de maneira estruturada, acontecia por meio de acordos com os gestores”, diz Guilherme.

Como funciona o modelo de trabalho híbrido da Contabilizei

Diferente de algumas companhias, a Contabilizei resolveu estruturar a frequência do trabalho híbrido pós-pandemia a nível de time. Então, enquanto algumas áreas mais operacionais, como atendimento ao cliente, precisam ir duas vezes na semana para o escritório, outras, como tecnologia, podem trabalhar de forma remota 100% do tempo.

“Acreditamos que cada atividade é diferente então não dá para criar uma regra única para a empresa inteira. O nosso time de gestão de pessoas fez um trabalho de sentar-se com os gestores e entender a realidade de cada área e o que fazia sentido ou não para cada um deles”, afirma Guilherme.

Em linha com as tendências de arquitetura de escritórios pós home-office, a sede paulista da Contabilizei conta com espaços modulares para permitir reuniões e encontros entre pequenos grupos. A decoração também foi pensada para seguir as cores da empresa, com frases que reforçam os valores da startup espalhadas pelas paredes.

Para atender tanto aos funcionários que estivessem em home-office quanto aqueles que estivessem presencialmente, o projeto também foi pensado para oferecer espaços para diferentes formas de encontros. Por isso, além das oito salas de reuniões, foram construídas oito salas individuais para videoconferências e duas salas abertas para encontros maiores.

Para diminuir o barulho característico de escritórios do modelo open space, que não possuem divisões, a empresa optou por materiais com isolamento acústico para revestir as paredes e o piso.

Localizada no 16º andar, outro destaque do escritório da Contabilizei foi a disposição das estações de trabalho das salas, que também levou em consideração o posicionamento da laje do prédio, para garantir um bom aproveitamento da luz natural.

Outra preocupação, segundo Guilherme, foi escolher um endereço de fácil acesso para os funcionários. “Rodamos uma pesquisa para entender qual região da cidade seria mais acessível pensando em opções de transporte público e a maioria escolheu a Avenida Paulista”, diz.

Contabilizei pretende continuar contratando

Com mais de 50 mil clientes, a startup chamou a atenção de gigantes como Goldman Sachs e Soft Bank e, em 2022, mesmo em um ano marcado pela seca nos investimentos de venture capital, a Contabilizei recebeu um dos maiores aportes em startups brasileiras, de R$ 320 milhões.

Segundo Guilherme, a expectativa para esse ano também é positiva, apesar da onda de demissões em massa entre startups. “Não temos nenhuma captação planejada, até porque na nossa análise ainda temos bastante fôlego para tocar novos projetos com os recursos levantados na última rodada. Fora isso, alguns dos investimentos que fizemos já estão tendo retorno. Também estamos com algumas vagas abertas”, afirma.

Mesmo assim, o executivo admite que, para 2023, o crescimento do time será um pouco menor em relação ao ano passado.

“A Contabilizei nunca foi aquela empresa agressiva, que buscava crescer a qualquer custo. No ano passado tivemos muitas contratações porque estávamos com muitas frentes, entendemos que neste ano o ritmo de crescimento será outro, mas estável, mas ainda com oportunidades”, afirma.

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.