Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Justiça condena Correios a pagar R$ 20 milhões de indenização por discriminação
Page/Post Excerpt

O Globo



A Justiça condenou os Correios (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) a pagar R$ 20 milhões de indenização por discriminação a uma funcionária com deficiência visual. A funcionária, aprovada em concurso público em 2011, já tinha passado por exames e treinamentos que atestavam sua aptidão para o cargo, mas foi demitida sob a alegação de não ter condições para exercer as atribuições do cargo de agente e atendente comercial.

A Vara do Trabalho de Gurupi (TO) aceitou o pedido de indenização por dano moral coletivo e social proposto pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em uma ação individual contra a empresa, em que a trabalhadora pedia indenização por dano moral individual e sua reintegração aos Correios.

A trabalhadora receberá R$ 188,5 mil por danos morais. Os R$ 20 milhões serão divididos igualmente entre o Fundo de Amparo ao Trabalhador e a Associação dos Portadores de Deficiência do Estado de Tocantins.

A sentença foi dada pelo juiz Alcir Kenupp Cunha, da Vara do Trabalho de Gurupi (TO), que lamentou não dispor de recurso para expedir a decisão em braile, para que a trabalhadora pudesse ler por conta própria.

“Queremos que a sociedade saiba que o MPT vem agindo para assegurar os direitos do trabalhador com deficiência. Uma ação com essas proporções também faz com que as empresas comecem a se preocupar em adequar sua conduta e a cumprir as normas trabalhistas”, afirmou, em nota, o procurador do Trabalho Carlos Eduardo Nassar, que atuou no caso junto com os procuradores Gustavo Magalhães de Paula Gonçalves Domingues e Ana Raquel Souza Sampaio.

Correios vão recorrer

Em nota enviada por meio de sua assessoria de imprensa, os Correios afirmaram que vão recorrer da decisão judicial: “Como empresa inclusiva, os Correios mantêm em seu efetivo hoje cerca de 7 mil pessoas com deficiência. Nos concursos, a ECT destina 20% de vagas às pessoas com deficiência — acima dos 5% exigidos pela legislação. Os Correios vão recorrer da decisão judicial.

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.