Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Ford lança curso de desenvolvimento de software com 80 vagas gratuitas
O projeto é um piloto que terá 100 vagas — e 80 delas serão gratuitas e voltadas para pessoas de baixa renda na Bahia
Tempo de leitura: 2 min


(Paulo Whitaker/Reuters)

A Ford anunciou o lançamento do programa de formação em tecnologia da informação em parceria com o Centro Universitário Senai Cimatec. O projeto é um piloto que terá 100 vagas — e 80 delas serão gratuitas e voltadas para pessoas de baixa renda.

O curso será inicialmente destinado aos residentes do estado da Bahia e as aulas serão online ou nas dependências do Senai Cimatec, em Salvador, com horários flexíveis.

Serão duas trilhas oferecidas: a “Trilha do Front-end”, feita para quem não tem conhecimento prévio da área de tecnologia; e a “Trilha Fullstack”, voltada para aqueles com inglês técnico, lógica de programação e conhecimento das linguagens HTML e CSS.

Para participar, os candidatos precisam ser brasileiros, com mais de 18 anos ou até 60 anos e com ensino médio completo. Aposentados e profissionais fazendo transição de carreira também podem tentar as vagas.

Quem buscar uma das vagas gratuitas deve apresentar um comprovante da situação socioeconômica.

As inscrições abriram na última segunda-feira, dia 13, e ficarão disponíveis até o dia 9 de janeiro pelo site: http://www.formacaoti.senaicimatec.com.br.

Gustavo Schiavotelo, engenheiro-chefe de software e eletrônica veicular da Ford América do Sul, comenta que a empresa sentiu a falta de mão de obra na hora de expandir o Centro de Desenvolvimento de Produto.

“O objetivo é formar e aprimorar talentos para trabalhar com desenvolvimento de software, área que oferece grande perspectiva de crescimento, dando oportunidade para pessoas de baixa renda ingressarem nesse campo de atuação promissor”, afirma.

Segundo relatório atualizado da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), a área de TI poderá alcançar 797 mil empregos gerados até 2025. Considerando apenas a oferta de alunos formados pelo ensino superior em tecnologia, o déficit de profissionais chegaria a 530.000 até 2025.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.