Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Estas são as áreas com o melhor e o pior bem-estar entre os profissionais
Quais setores têm os profissionais mais estressados? E quem tem o melhor bem estar? Confira o ranking do IBC Zenklub
Tempo de leitura: 2 min


(FG Trade/Getty Images)

Qual é a melhor área para trabalhar e ter boa qualidade de vida? A resposta dessa pergunta pode depender de diversos fatores e a startup Zenklub criou uma pesquisa para ajudar a resolver a questão.

O Índice de Bem-estar Corporativo do Zenklub em 2021, publicado com exclusividade pela EXAME, mostrou que a felicidade dos funcionários deixa a desejar: o primeiro IBC teve uma nota de 49,25.

Dentro de uma escala de zero a 100, as empresas brasileiras ficaram abaixo o índice ideal de 78. O levantamento teve mais de 1.600 respostas de funcionários de 335 empresas.

A pesquisa utilizou um teste com 32 perguntas e é baseado em cinco aspectos: burnout, adição ao trabalho, volume de demanda e controle, relacionamento com colegas e líderes e ambiente.

Os primeiros três fatores pesam negativamente na nota. Ou seja, quanto maior é a uma nota de burnout, menor é o bem-estar dentro da empresa. Com nota geral de 58,75, a pesquisa mostra que os profissionais estão apresentando sintomas comuns de esgotamento, o que deve servir de alerta para as empresas.

Outros fatores ajudaram a elevar a nota. Do lado do relacionamento com colegas, a nota de 74,68 ajudou a alavancar o IBC. O objeto é acompanhar a evolução do índice periodicamente e fazer um termômetro do bem-estar no mercado brasileiro.

Com a pandemia, a saúde mental tornou-se uma forte preocupação corporativa. Números da Organização Mundial da Saúde mostram que a ansiedade e a depressão retiram da economia mundial cerca de 1 trilhão de dólares por ano.

O estudo, nomeado de Scaling-up treatment of depression and anxiety: a global return on investment analysis, também calcula que a cada um um dólar investido no tratamento dessas condições mentais, quatro dólares são obtidos como retorno.

Juntas, depressão e a ansiedade crônica afetam cerca de 10% da população, de acordo a Organização.

“Precisamos de uma visão evolutiva. As empresas perceberam que a saúde e segurança psicológica se tornaram obrigatórias, é necessário ter integridade para produzir. A saúde deve deixar se ser um custo para ser um ativo”, diz Rui Brandão, médio e CEO da Zenklub.

Além da nota geral, a startup fez um ranking dos setores com o melhor e o pior bem-estar:

A empresa colocou uma nota boa para o índice sendo 78. Mesmo os setores com melhor bem-estar ainda ficaram abaixo desse valor:

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.