Scroll Top
Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Como melhorar o perfil no LinkedIn e aumentar a chance de conseguir um novo emprego
Recrutadoras contam como usam a rede social para encontrar profissionais e dão dicas sobre como conseguir uma entrevista através da plataforma
Por Estadão | Tempo de leitura: 3 min
(Brent Lewin/Bloomberg)

Ao mesmo tempo que o LinkedIn é a rede social preferida de quem está procurando um emprego novo, a plataforma também tem papel estratégico para os recrutadores que buscam novos talentos. Com fácil acesso a processos seletivos de milhares de empresas, ter um perfil bem estruturado com informações chave e entender a forma como os RHs utilizam a plataforma pode oferecer vantagens para quem quer ser visto e contratado através da rede social.

“Procurar emprego dá muito trabalho. Existe toda uma preparação para te ajudar a se destacar nesses 50 milhões de profissionais que a gente tem dentro da plataforma”, diz Ana Claudia Plihal, Executiva de Soluções de Talentos do LinkedIn no Brasil.

Com mais de 50 milhões de usuários ativos na plataforma, o Brasil tem hoje a quarta maior comunidade na rede social, atrás apenas de China, EUA e Índia. De acordo com um levantamento divulgado pela Statistic Brain, 90% dos recrutadores entrevistados usam o LinkedIn regularmente para encontrar profissionais.

A ferramenta utilizada pelos recrutadores para encontrar e contatar candidatos ideais é o Linkedin Recruiter. Ele é uma interface que tem acesso a toda a base de membros. Com mais de 20 filtros, é possível selecionar candidatos por palavras-chave, competências, probabilidade de resposta ou até buscar pessoas que já interagiram com publicações da marca na rede social.

“É como se você estivesse comprando um computador. Você seleciona o tamanho de tela, quanto de memória RAM e qual a configuração você quer”, explica Plihal. A solução possibilita que os recrutadores apliquem uma série de pré-requisitos sobre a base de usuários e a partir dali, recebam o retorno com os candidatos que mais se encaixam naquele perfil.

A executiva explica que a inteligência artificial do LinkedIn cruza uma série de informações sobre o usuário para comprovar as competências técnicas destacadas ou não no perfil. “Quando buscamos candidatos com competências voltadas ao relacionamento com o cliente, por exemplo, perfis com histórico de atendimento em Call Center ou gestão de atendimento levam vantagem, mesmo não destacando a habilidade no perfil.”

De acordo com especialistas, é através da plataforma que é possível conhecer melhor toda a trajetória profissional da pessoa candidata – seja através das suas qualificações ou até das suas conquistas profissionais ou projetos que já realizou.

Dicas das recrutadoras

Confira quatro dicas para criar um perfil atraente e chamar a atenção de recrutadores na maior rede social profissional do mundo.

  • Não basta ser um bom profissional, você precisa ser notado. Manter o perfil completo e atualizado aumenta as suas chances de aparecer nas buscas e de ser abordado por recrutadores. “Perfis que compartilham mais dos projetos que já participaram ou que contam com mais detalhes sobre a escala na qual já trabalhou ou alguns dos desafios em cada uma das experiências que teve, também nos ajudam a entender melhor se a pessoa candidata tem potencial para combinar com a vaga”, pontua a recrutadora de Tecnologia do Google Ana Cunha.
  • O título do seu perfil é como você se apresenta para o mercado. As palavras-chaves são uma ferramenta estratégica para os profissionais que querem ser encontrados pelos recrutadores. “Você pode escolher 5 palavras que se encaixem com os seus objetivos profissionais. Se está buscando uma posição como Assistente Administrativo, por exemplo, pense em variações dessa área. O importante é não diversificar muito para não confundir o algoritmo nem o recrutador que vai pensar que você é um candidato sem foco”, explica Mariana Torres, Especialista em Recolocação e Consultora de Carreira e LinkedIn.
  • Esteja lá todos os dias. “Seja através do aplicativo no celular ou pelo computador, quem está procurando emprego precisa ficar de olho na rede social o tempo todo. Os recrutadores abordam muitos candidatos pela plataforma e tem gente que por não estar de olho, acaba perdendo muitas oportunidades”, ressalta Torres.
  • Não deixe de atualizar o que você está fazendo. Faça o exercício de lembrar o que você tem feito de bom profissionalmente e compartilhe suas conquistas no Linkedin. “Além de a inteligência artificial levar o engajamento em conta na hora de escolher a relevância dos perfis, a interação humaniza pode te aproximar de futuros contatos importantes para sua carreira”, destaca Ana Claudia Plihal, Executiva de Soluções de Talentos do LinkedIn no Brasil.

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.