Scroll Top
Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Câmara dos Deputados abre 749 vagas para concurso com salário que pode chegar a R$ 34 mil
Especialista dá dicas de preparação para concurso que é um dos mais aguardados dos últimos anos
Por Exame | Tempo de leitura: 3 min
(Jefferson Rudy/Agência Senado/Flickr)

Foi publicado o edital da Câmara dos Deputados com 140 vagas para nomeação imediata e 609 vagas para formação de cadastro de reserva para cargos de nível superior com salários iniciais de até R$ 34 mil.

As vagas são para os seguintes cargos:

  • Analista Legislativo – Contador
  • Analista Legislativo – Informática Legislativa
  • Analista Legislativo – Técnico em Material e Patrimônio
  • Analista Legislativo – Assistente Social
  • Analista Legislativo – Enfermeiro
  • Analista Legislativo – Farmacêutico
  • Analista Legislativo – Médico
  • Analista Legislativo – Consultoria
Como se inscrever?

As inscrições podem ser feitas do dia 28 de agosto até 4 de outubro de 2023, exclusivamente no site da banca organizadora, a FGV (Fundação Getúlio Vargas) – neste site será possível acessar todos os editais.

A taxa de inscrição varia de R$ 95 a R$ 120, a depender do cargo escolhido.

Como serão as provas?

De acordo com o edital, o concurso vai contar com provas objetivas, discursivas e de títulos (para os cargos de consultor e médico).

As provas serão aplicadas em todo o país, mas a lotação, a princípio, é em Brasília. As objetivas estão previstas para serem realizadas nos dias 3 de dezembro e 10 de dezembro de 2023.

Quais são os requisitos?

Para os cargos de Informática Legislativo; Técnico em Material e Patrimônio e Consultoria, a exigência é de nível superior em qualquer área. Nos demais cargos, é necessário ter formação de acordo com a especialidade.

Quais dicas os candidatos podem considerar para ter um bom resultado nas provas?

O ideal é começar a se preparar o quanto antes, já que esse é um dos concursos mais sofisticados do país e uma prova desse nível pode exigir anos de estudo, afirma Fernando Mesquita, diretor de mentoria e coaching do Gran e analista legislativo da Câmara, que compartilha algumas dicas:

  • Atenção especial para a língua portuguesa: o candidato tem muitos pontos de atenção na preparação, a começar pela banca organizadora, a FGV. Segundo Fernando, a FGV é uma banca peculiar no sentido da sua cobrança, com uma atenção especial para as questões de língua portuguesa, que exigem preparação voltada especificamente para a banca.

  • Textos grandes: o professor reforça que o candidato precisará também ser esperto na hora de ler os textos grandes, muito comuns em provas da FGV, sem perder tempo demais, e já tentar avaliar nas questões onde pode estar o erro.

    “É importante administrar a energia ao longo do tempo, já que é uma prova extremamente cansativa, textos longos, muitos detalhes. Na hora da prova, é importante começar pela disciplina que você mais gosta e em que mais tem facilidade para conservar energia para as mais difíceis ao final”, afirma o analista da Câmara.

  • Recorrer a outras bancas: de acordo com Mesquita, resolver questões da FGV é indispensável, mas também é recomendado recorrer a outras bancas para ampliar a compreensão dos conteúdos, além de fazer revisões ao longo do tempo. Outra dica importante é que o candidato treine com simulados, já que essa será uma prova longa e complexa. Sobre a prova discursiva, a dica do especialista é que o candidato entenda a estrutura das provas escritas que vai fazer.

    “Vale a pena pegar os tópicos mais relevantes de cada cargo e criar um banco de temas para ir treinando. Nem sempre o objetivo será a escrita de uma peça completa, mas é importante também pensar em termos de desenho, estrutura e capacidade de expressão. Como são provas bem específicas em sua maioria, é interessante buscar o que a FGV cobrou em outros cargos e fazer paralelos para inserir no treino também. Buscar um serviço de correção profissional ajudará a direcionar o aluno”, recomendou.

  • Estude inglês: Mesquita afirma que a exigência do idioma inglês como língua estrangeira vale para todas os cargos, e isso assola muitos candidatos, mas é plenamente possível aprender inglês para gabaritar essa prova em 3 meses sem nenhum tipo de estudo excessivo.

  • Conhecimento em tecnologia: A parte de Dados para alguns cargos veio bem puxada, e vai exigir conhecimentos de Tecnologia da Informação mesmo para candidatos que não são da área específica de TI, o que tem se mostrado uma tendência em provas de média e de média-alta complexidade”.

Por que prestar esse concurso?

O concurso da Câmara dos Deputados é um sonho para muitos concurseiros, segundo Mesquita. “Além da excelente remuneração, a Câmara conta com carga horária de 7 horas, estímulo à especialização dos servidores e respeito do corpo funcional.”

Outro ponto que o analista destaca é que o trabalho é socialmente relevante: “Mexemos todos com o futuro do Brasil e, em muitas áreas, é dinâmico.”

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.