Scroll Top
Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
As tarefas mais chatas de um escritório que já estão sendo tocadas pelo ChatGPT
A chamada IA generativa já está ajudando a acelerar tarefas banais que costumam desanimar os funcionários mais novos de Wall Street
Por Bloomberg | Tempo de leitura: 2 min
(Thomas Trutschel/Getty Images)

A recente euforia com inteligência artificial alimenta uma disparada de ações de tecnologia e apostas de que uma nova era de inovação se aproxima.

Mas para os gestores de recursos que buscam avanços da computação para obter vantagens competitivas nos investimentos, a era do ChatGPT por enquanto trouxe uma promessa menos grandiosa: automatizar as tarefas chatas.

Quais são as tarefas

A chamada IA generativa já está ajudando a acelerar tarefas banais que costumam desanimar os funcionários mais novos de Wall Street.

Elas vão desde revisar pilhas de pesquisa de mercado até escrever código de programação básico ou resumir o desempenho de um fundo.

Pode ser que os chatbots um dia ajudem a gerar ganhos de eficiência significativos e desempenhar tarefas que são mais gratificantes para humanos, possivelmente às custas de empregos. Mas ainda é cedo.

Na Campbell, que administra fundos quantitativos, especialistas passaram meses experimentando o uso da tecnologia por trás do ChatGPT para fazer resumos de pesquisas internas e gerar código. Mas as ferramentas de IA generativa ainda não se mostraram um diferencial nos métodos de investimento do dia-a-dia.

“É muito útil para completar código, editar, localizar erros e corrigir bugs”, disse Kevin Cole, CEO da Campbell. “Nosso modelo manteria os humanos — seria um assistente para os humanos, ajudando a tornar seu trabalho mais eficiente.”

Para que Wall Street já usa ChatGPT

A inteligência artificial em Wall Street é um campo amplo, que inclui:

  • Desde algoritmos de aprendizado de máquina para calcular riscos de crédito
  • Até ferramentas de processamento de linguagem natural que selecionam notícias para as mesas de operações.

A IA generativa, que virou moda com o chatbot da OpenAI, pode seguir instruções e criar novos textos, imagens ou outro conteúdo após ser treinada com um número grande de exemplos.

Surgiu então a ideia de que, se a máquina ler o suficiente sobre finanças, poderia precificar uma opção de forma plausível, construir um portfólio ou analisar notícias corporativas.

À medida que os hedge funds experimentam as mais recentes versões dessas ferramentas, o objetivo final é melhorar o desempenho do investimento. Mas por enquanto, aumentar a produtividade — acelerando a codificação, pesquisa e comunicação com o cliente — é o benefício mais óbvio.

Quem aposta na tecnologia

É por isso que gente como o bilionário Ken Griffin, da Citadel, disse em março que a gigante de investimentos e formadora de mercados global está negociando uma licença de uso do ChatGPT para toda a empresa, apostando que automatizará uma “enorme quantidade de trabalho”.

No Man Group, um dos maiores hedge funds do mundo, o diretor de investimentos Rob Furdak diz que o ChatGPT pode acelerar as partes preliminares da pesquisa, revisando uma pilha de trabalhos acadêmicos sobre um tópico específico e detectando padrões básicos em conjuntos de dados.

“Grande parte do processo de pesquisa é limpar os dados, mapeá-los e depois fazer uma análise preliminar”, disse. “O ChatGPT poderia dizer ‘essa é uma hipótese interessante, mas aqui estão outras hipóteses que você pode querer investigar também.’”

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.