Scroll Top
Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Ano novo, emprego novo: Veja 5 dicas para se destacar no processo seletivo sem mentir
Uma pesquisa feita nos EUA mostra que 70% dos trabalhadores mentiram em seus currículos e 80% já mentiram em uma entrevista
Por Exame | Tempo de leitura: 3 min
(Imagem criada por inteligência artificial)

Você já mentiu em seu currículo ou em uma entrevista de emprego? Segundo pesquisa realizada nos EUA pela ResumeLab, em agosto deste ano, uma taxa elevada de candidatos está mentindo durante o processo seletivo.

A pesquisa foi feita com 1.914 participantes do Job Applicant Behavior Survey e descobriu que a maioria dos trabalhadores (70%) mentiram em seus currículos, 76% já mentiram em suas cartas de apresentação e 80% já mentiram durante uma entrevista de emprego

A taxa é muito alta de pessoas que mentem no processo seletivo, afirma Rodrigo Vianna, CEO da Mappit e co-fundador do Talenses Group, empresas de recrutamento e seleção, que reforça que essa realidade não é muito diferente no Brasil.

“Ainda não vi pesquisas sobre esse tema no Brasil, mas após 20 anos em salas de entrevistas, tenho a sensação de que esse número de pessoas que mentem no processo seletivo é alto no país também, mas o nosso papel é sempre de orientar o candidato a não seguir dessa forma.”

O estudo mostra que as taxas de mentira aumentam nas cartas de apresentação e atingem o pico durante as entrevistas de emprego. Entre as principais mentiras contadas nos currículos estão:

  • Embelezar títulos de cargos e responsabilidades em geral (52%);
  • Exagerar o número de pessoas gerenciadas (45%);
  • Exagerar o tempo de emprego (37%).

As pessoas mentem não só porque querem a vaga, mas porque querem a oportunidade de serem entrevistados, diz Vianna.

“O risco natural é você acabar caindo na entrevista com aquilo que você escreveu e não cumpriu. Ao longo da conversa um recrutador experiente consegue puxar essas informações. Isso pode prejudicar a credibilidade, o que no mercado é importante, porque os RHs se falam. As empresas pedem referências de candidatas(os) e isso pode gerar um ruído.”

Como ir bem em uma processo seletivo sem mentir?

O mais importante em um processo seletivo, segundo Vianna, é colocar no currículo aquilo que você fez e as informações, sem o risco de errar. Por exemplo, números e dados, linha do tempo bem construída, informações sobre as empresas que trabalhou, projetos conduzidos e ciclos fechados. “Não é ruim falar de algo mais pessoal ou fora do ambiente, como trabalho voluntário e hobbies. Isso ajuda, como um quebra gelo de entrevista.”

Para ajudar tanto candidatos quanto recrutadores a se prepararem para as oportunidades de emprego em 2024, Vianna compartilha algumas sugestões:

Dicas para recrutadores:
  • Não deixe de se preparar para a entrevista. Leia o CV por completo, sinalize pontos que você teve dúvidas.
  • Faça perguntas consistentes e direcionadas às dúvidas que você ficou. Não deixe de perguntar sempre dos ciclos e falar sobre “começo, meio e fim” de cada etapa. Cheque sempre qual foi o papel do candidato naquele projeto.
  • Sempre avalie a questão de idiomas do candidato. Muitas vezes a pessoa tem uma visão sobre seu nível de inglês, não condizente com a realidade.
  • Peça referências profissionais do candidato para confirmar informações, caso avance para a etapa final.
Dicas para candidatos:
  • Coloque no CV aquilo que é 100% certo. Não demonstre ao recrutador que você pode ter escrito algo não condizente com a realidade. Lembre-se que se você não conseguir responder as perguntas pode deixar uma mancha na sua carreira.
  • Lembre-se que se você mentir e passar no processo, corre o risco de não conseguir entregar as demandas necessárias e com isso ter de buscar uma nova oportunidade.
  • Recrutadores avaliam “firmeza e consistência” numa entrevista. Quanto mais seguro melhor. Ou seja, quanto mais alinhadas as informações com a realidade, mais pontos positivos para você.

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.