Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
4 razões justas para desistir de um concurso público
Page/Post Excerpt

exame

Ser aprovado num concurso público pode ser muito difícil. Diante disso, sobram justificativas – legítimas ou não – para abandonar os estudos.

De acordo com Vincenzo Papariello Junior, sócio-fundador da VP Concursos, a maioria das desistências se apoia em argumentos falsos.

“Normalmente é um autoboicote”, explica. “A pessoa não acredita na sua capacidade de ser aprovada, então encontra desculpas, coloca obstáculos o tempo todo”.

Os pretextos podem ser de inúmeras ordens, do tempo consumido na rotina pelos filhos à falta de dinheiro para pagar cursos e livros.

Felipe Lima, coach especializado em concursos públicos, também já viu muitos candidatos fugirem do desafio após sentirem o sabor amargo de sua primeira reprovação.

“Eles querem resultados imediatos e esquecem que ser aprovado num concurso é projeto demorado e exigente”, afirma.

Quando faz sentido jogar a toalha?

Num contexto de crise econômica, em que a busca por estabilidade aumenta a competição por cargos públicos, é preciso redobrar a perseverança para estudar.

Por isso, mais do que nunca, é fundamental diferenciar razões justas de meras “desculpas” para abandonar um concurso.

Mas quais seriam alguns motivos que realmente sustentam a decisão? Veja a seguir as respostas dos especialistas ouvidos por nós:

1. Você descobriu que não tem vocação

Para Marcus Bittencourt, advogado da União e especialista em concursos, este é o único argumento válido para cancelar os seus planos. Afinal, muita gente se candidata a um cargo unicamente pelo salário e pela estabilidade que ele pode proporcionar.

Para evitar frustrações a longo prazo, é importante refletir se a carreira pública é mesmo para você. “Durante a preparação, o candidato pode encontrar um propósito na vida que não seja ligado ao setor público”, diz Bittencourt. “Nesse caso, a desistência é claramente justificável”.

2. Você recebeu uma oferta melhor

Cargos públicos podem ser extremamente disputados, mas não necessariamente são o máximo que um indivíduo pode mirar na carreira.

Muitas pessoas desistem – e com razão – de um concurso simplesmente porque receberam uma oportunidade de emprego na iniciativa privada. No entanto, alerta Rodrigo Menezes, é preciso ter cuidado com esse tipo de decisão. “Recomendo pesar muito bem se vale a pena abrir mão da estabilidade que a carreira pública proporciona”, diz o diretor do site Concurso Virtual.

3. A sua vida pessoal não deixa outra escolha

De doenças a divórcios, são inúmeras as situações de ordem particular que podem afetar a sua disponibilidade para os estudos. Segundo Papariello, vale a pena repensar se você terá condições emocionais de chegar preparado para a prova.

A desistência, entretanto, pode ser apenas temporária. “Assim que os problemas ficarem mais leves, meu conselho é respirar fundo e retomar os estudos”, afirma Rodrigo Lelis, professor do Universo do Concurso.

4. Não há tempo hábil para se preparar

Muitos candidatos usam a falta de tempo como pretexto para abandonar um concurso. No entanto, existem casos em que o cronograma realmente impossibilita candidaturas.

Segundo Papariello, é preciso avaliar a viabilidade caso a caso. “Se você tem um mês e meio para estudar 20 disciplinas que não domina, é melhor deixar para a próxima”, afirma.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.