Vagas na Polícia Rodoviária Federal são para função administrativa

O Globo

O novo concurso da Polícia Rodoviária Federal, bastante aguardado pelos concurseiros, traz como novidade seu foco: a seleção será para agentes administrativos, profissionais que não vão para as ruas. Os aprovados atuarão internamente, dando suporte às operações de campo, realizadas pelos agentes rodoviários. É preciso ter formação em nível médio completo. Aos novos contratados caberão as funções de logística, análise de processos, observação de normas e comunicações administrativas, entre outras do gênero, explica José Almeida Sobrinho, autor do livro “Código de Trânsito Brasileiro” (Ed.Forense).

— É um nicho diferente dentro na instituição, pois proporciona trabalho administrativo dentro de uma instituição operacional. O agente administrativo tem uma “função meio”, ou seja, de tornar efetivas as ações dos agentes rodoviários e da instituição em geral. Podemos dizer que eles são o suporte dos agentes rodoviários, que ficam sujeitos ao trabalho externo, em locais de desconforto e perigo. Embora a remuneração seja um pouco menor, o concurso se torna atrativo justamente pelas condições de trabalho mais confortáveis — afirma Sobrinho, também professor de cursos de extensão universitária sobre legislação de trânsito, da Faculdade de Engenharia Mecânica da Unicamp, e de cursos de capacitação profissional em trânsito, do Denatran.

Deixe um comentário