Um roteiro de estudos para aprender inglês sem ir à escola

Exame

Falar inglês é fundamental para quem deseja crescer na carreira. Em grande parte das seleções para cargos executivos ou oportunidades para trainees, por exemplo, o domínio do idioma é menos um diferencial competitivo e mais um dos requisitos essenciais para participar do processo.

Mas, e quando falta tempo para voltar à sala de aula? A sócia-diretora da Companhia de Idiomas, Rosangela Souza, indicou uma agenda básica de para quem não tem tempo de frequentar escola de inglês, mas quer desenvolver suas habilidades ainda neste ano. Para ela, apostar alguns minutos diários de contato com a língua já proporciona um salto no domínio do inglês.

“Tente se dedicar pelo menos quinze minutos por dia, de forma disciplinada e focada (sem interrupções ou distrações). Este hábito diário vai trazer bons resultados no final de um ano”, diz Rosangela.

Confira por onde começar e o que fazer dia a dia. As sugestões são valiosas para quem já tem nível intermediário:

Segunda-feira Ouça

Cursos gratuitos do Coursera, palestras no TED são boas fontes de aprendizado. A gama de temas é enorme, basta escolher o assunto que mais chamar a sua atenção.

“Agregam inglês e informação”, diz Rosangela. É a chance de ouvir pessoas de sucesso falando sobre coisas interessantes. E isto pode ser feito durante atividades rotineiras como o trajeto até o trabalho ou a casa, como caminhada, compras ou até mesmo lavar a louça.

Terça-feira Fale

Uma refeição do dia conversando em inglês com um amigo, colega ou parente que seja de nível intermediário é a indicação do dia. “Peça 30 minutos por semana, para que tomem um café da manhã na padaria, almocem ou se encontrem no parque para falarem em inglês”, recomenda Rosangela. Algumas estratégias ajudam a destravar a conversação.

Para quem não encontrar disposição entre as pessoas mais próximas, vale apostar em conversas por Skype ou outras plataformas. Há escolas que oferecem este serviço e é possível fechar pacotes semanais de 20 minutos. “A vantagem é que você será corrigido, além de falar bastante, pois serão só você e o professor”, diz Rosangela.

Quarta-feira Leia

“Escolha uma notícia por semana, em um portal de notícias em inglês. Mesmo que entenda muito pouco, não desista”, diz Rosangela. A dica é começar por notícias que você já leu em português e, que, portanto, já sabe o contexto.

“Aos poucos, a pessoa vai adquirindo vocabulário, pois vai relacionar o contexto às palavras usadas na matéria”, diz a sócia-diretora da Companhia de Idiomas.

Quinta-feira Aprenda uma estrutura gramatical

Do que ouviu na palestra do TED ou no curso do Coursera, na conversa com o amigo ou do que leu na notícia, escolha uma estrutura gramatical para pesquisar.

“Faça a você mesmo perguntas do tipo: por que ele usou would? O que era mesmo o have been?”, indica Rosangela.

O livro de gramática é o seu “amigo” do dia. “O mais comum é o English Grammar In Use, que você pode pedir emprestado de um colega. Mas pode ser outro livro de gramática. Se tiver respostas, melhor ainda”, diz Rosangela.

Sexta-feira Aprenda cinco palavras

Ao longo das atividades realizadas durante a semana, é bem provável que tenham surgido palavras novas das quais vocês não sabe o significado. Anote-as e pesquise os usos e sentidos empregados. “Tire um tempo para tentar formar frases com elas”, indica Rosangela.

Não se preocupe muito se a frase está corretíssima, diz ela. “O importante é contextualizar as palavras novas, para não esquecer”, diz.

Sábado Escolha uma música

Use uma música de que você gosta e já conhece faz tempo para aprender vocabulário, estrutura e pronúncia . Estude a letra em inglês, e, se for preciso, consulte a sua tradução.

“Como a melodia e o som das palavras estão na sua memória há anos, será muito mais fácil aprender”, diz Rosana.

Domingo Mude o jeito de ver um filme

A dica de estudo para o domingo é assistir um filme americano ou inglês de um jeito diferente. “Tente, por alguns minutos, se concentrar no idioma que ouve, palavras, estrutura, pronúncia, e não apenas ler a legenda”, indica Rosangela.

Deixe um comentário