Supermercado deve indenizar funcionária que dançou ‘Na Boquinha da Garrafa’

uol

O Bompreço Supermercados foi condenado pelo TRT-CE (Tribunal Regional do Trabalho do Ceará) a pagar R$ 67 mil a uma funcionária que teria sido obrigada a dançar “Na Boquinha da Garrafa”, da banda Companhia do Pagode, e “Rebolation”, do Parangolé, na frente de clientes, por chegar atrasada. Ainda cabe recurso da decisão.

A funcionária trabalhou para a empresa entre 2011 e 2013. Empregados que chegavam atrasados eram obrigados a dançar músicas constrangedoras, segundo testemunhas ouvidas no processo. Quem não participasse, segundo os relatos, era malvisto pela gerência.

O valor de R$ 67 mil, determinado pela Justiça, é por assédio moral e também reparação por danos morais, porque a empregada teria sido dispensada, sem justa causa, por suspeita de furto, o que não teria sido comprovado.

Para o relator do processo, desembargador Francisco José Gomes, as práticas motivacionais de uma empresa devem ser opcionais e a empresa não conseguiu comprovar que os funcionários podiam decidir se participariam ou não da dança.

Procurado, o Walmart, dono da rede Bompreço, disse que “repudia veementemente qualquer ato de desrespeito” e que “os procedimentos adotados em suas unidades ocorrem em total respeito aos seus empregados e à legislação vigente”. Em relação ao caso, a empresa afirmou que está analisando se irá recorrer da decisão.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário