Sete dicas para quem quer passar num concurso público em 2014

O Globo

Com indícios de recuperação econômica do país, a arrecadação tributária deve aumentar em 2014, elevando a receita pública e a viabilidade para que os governos possam se reequipar realizando novos concursos. Assim, para especialistas em concurso, no próximo ano deverá haver a mesma quantidade de seleções de 2013 ou mais.

Os concursos que prometem aquecer o mercado no início de 2014, segundo Fernando Bentes, diretor acadêmico do site Questões de Concursos, são os do Ministério do Turismo, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Finep, TRT da 3ª Região, em Minas Gerais, Polícia Civil de São Paulo, UFF, Transpetro, Ministério Público do Rio de Janeiro, CADE e Caixa Econômica Federal (para localidades diferentes da seleção de 2012).

— Além destes, destaco as seleções para os Correios (10.000 vagas, sem edital publicado), o Banco do Brasil (8.630 vagas, com edital publicado e banca Cesgranrio), Polícia Federal (566 vagas, com edital publicado e banca Cespe) e IBGE (7.825 vagas, sem edital publicado, mas com a escolha da banca Cesgranrio), todos com exigência de ensino médio e salários bastante interessantes para este nível de formação se comparados à realidade do mercado privado.

Se você está decidido a garantir a sua vaga no setor público em 2014, confira as sete dicas de ouro para quem quer passar num concurso público:

1) Motivação: Quem vai prestar concurso precisa de motivação. É o que faz com que os candidatos “segurem a barra” quando tudo parece difícil e recomecem quando algo dá errado. E a motivação é pessoal: cada um sabe o que lhe dá ânimo para prosseguir. Algumas fontes de motivação são: família (ajudar pessoas queridas, casar com a pessoa amada), estabilidade profissional, dinheiro, tempo (quanto melhor você estudar e tiver resultados mais rápidos, mais tempo você terá para fazer outras coisas). A motivação deve ser trabalhada diariamente, diz o professor e juiz federal William Douglas. Segundo ele, todos os dias você deve se lembrar dos motivos que o estão fazendo estudar, ter planos, persistir.

— Você pode criar técnicas para se animar. Eu usava uma xerox do contracheque de um amigo que já tinha sido aprovado. Quando eu começava a querer parar de estudar antes da hora, olhava o contracheque que eu queria para mim e conseguia estudar por mais um tempo. Conheço gente que tem a foto de um carro, de uma casa, uma nota de US$ 100, a foto de onde quer passar as férias de seus sonhos. E tem gente com foto da esposa, do marido, dos filhos — conta o professor.

2) Disciplina: O primeiro passo para quem decide se preparar para um concurso é fazer o tradicional quadro de horários, colocando nele todas as tarefas a serem realizadas. Este procedimento, garantem especialistas, facilitará as coisas, porque ajuda o candidato a estabelecer suas prioridades. É recomendável que se separe tempo para dormir, fazer exercícios físicos e dar atenção à família ou namoro. Sem isso, o estresse será mera questão de tempo. E depois de escolher quantas horas você vai gastar com cada tarefa ou atividade, evite pensar em uma enquanto está realizando a outra.

— Quando o cérebro mandar “mensagens” sobre outras tarefas, é só lembrar que cada uma tem seu tempo definido. Isto aumentará a concentração no estudo e o prazer e relaxamento das horas de lazer — garante Douglas.

— Geralmente, os concurseiros têm uma disposição incrível no começo da jornada e se desestimulam no meio ou na reta final, por isso é essencial que se separe um tempo para o lazer. Não se pode ficar bitolado no inicio e perder o foco ao longo da jornada — alerta o professor Carlos Eduardo Lima, do curso Progressão Autêntico.

3) Preparação para a prova: A preparação deve se iniciar pelo edital dos concursos anteriores. Assim, o candidato terá um roteiro de estudo, com as disciplinas que serão cobradas e a pontuação que cada uma terá na correção, podendo enfatizar algumas matérias mais importantes.

— Assim, quando o edital do concurso sair, basta complementar seu estudo com alguma novidade e intensificar o ritmo de preparação — afirma Fernando Bentes, diretor acadêmico do site Questões de Concursos.

4) Aprenda a fazer fazendo: Especialistas são unânimes em afirmar que a melhor técnica é a da prática: aprenda a fazer fazendo. A experiência constitui um excelente trunfo na hora de um concurso. Para fazer provas, existem duas maneiras: simulados e provas reais.

— O ideal é que o candidato faça as duas, ou seja, que treine fazer provas e questões e que se inscreva em todos os concursos para a área que deseja. Mesmo que ainda esteja começando a se preparar e não espere passar, vá fazer as provas — recomenda William Douglas.

O especialista sugere ainda que, de vez em quando, o candidato faça treinos especiais, resolvendo questões por um tempo um pouco maior (por exemplo, uma hora a mais) do que o que terá disponível no dia da prova, o que serve para aumentar sua resistência. Outra dica boa é fazer os simulados filantrópicos, cada vez mais comuns nos cursos preparatórios.

5) Resumos e cores: Especialistas sugerem que, ao estudar, o candidato faça resumos, esquemas, gráficos, fluxogramas, anotações em árvore, mencionados no item abaixo.

— É comprovado que o aprendizado é maior com a prática da escrita, então abuse dos resumos e fichamentos para fixar o conteúdo — frisa o professor Carlos Eduardo Lima, do curso Progressão Autêntico.

William Douglas ressalta que o uso de mais de uma cor nas anotações é proveitosa, pois estimula mais a atenção e o lado direito do cérebro:

— Alguns alunos gostam de correlacionar cores com assuntos ou com referências. Por exemplo, o que está em vermelho são os assuntos mais “quentes” para cair, o que está em azul são exceções, princípios na cor verde, e assim por diante. Dessa forma, as cores também funcionam como uma espécie de ícone.

6) Amigos de alto astral: Esteja perto de pessoas positivas e com objetivos semelhantes, recomenda William Douglas:

— Evite muito contato com pessoas que não estejam trabalhando por seus sonhos, que vivam reclamando de tudo. O canarinho aprende a cantar, ouvindo outro canário. E canários juntos cantam melhor.

7) Na hora da prova: Simplicidade e objetividade são indispensáveis na prova, junto com o equilíbrio emocional e o controle do tempo. Para passar, lembre-se que você precisa responder àquilo que foi perguntado. Leia com atenção as orientações ao candidato e o enunciado de cada questão. Nas respostas, utilize linguagem técnica, alerta William Douglas. A linguagem de prova é formal, não se deixe levar pela coloquial. Fique atento à correção: tão ruim quanto uma letra ilegível é uma letra bonita, mas com erros de português. E seja humilde: não queira parecer mais inteligente que o examinador ou criticá-lo.

Deixe um comentário