Profissionais demoram mais de seis meses para atualizar currículo


Os profissionais brasileiros, sejam veteranos ou que estejam em início de carreira, estão demorando mais de seis meses para atualizarem seus currículos. É o que mostra levantamento do site Vagas.com.br, finalizado em dezembro do ano passado, por meio da base de 5 milhões de currículos cadastrados no portal de carreira. Dos profissionais de 21 a 30 anos, 54,7% declararam que passam mais de 180 dias sem incluir novas informações em seu CV sobre os cursos de especializações, aprimoramento em idiomas e experiências em projetos importantes que possam dar um impulso na carreira. Já os trabalhadores de 31 a 40 que ficam mais de seis meses sem atualizar as informações no documento representam 57,7%. Entre os mais experientes, de 41 a 50 anos, 58,6% que se enquadram nessa mesma situação.

“É um dado alarmante. Com a facilidade de atualização, os jovens estão levando muito tempo para incluírem informações relevantes sobre a sua evolução profissional. Eles podem perder oportunidades interessantes por não informarem quais cursos estão frequentando, onde estão trabalhando ou até mesmo sobre uma experiência adquirida em outra área”, afirma Fernanda Diez, gerente de relacionamento da Vagas Tecnologia.

A especialista dá dicas para manter o currículo atualizado e qual o formato adequado de preenchimento:

Currículo on-line: diferentemente da versão em papel, inclua o máximo de informações relevantes e detalhe as atividades vivenciadas. No on-line, os recrutadores necessitam de diversas informações para cruzar os critérios disponíveis no sistema de busca de candidatos. Algumas palavras-chave, como trainee, mineração, inglês, podem ser escolhidas pelo recrutador na hora de identificar o perfil ideal do candidato.

Português: revise no mínimo três vezes todo o texto que você inserir no currículo. Erros ortográficos e de digitação prejudicam a impressão que você quer passar ao recrutador.

Objetivo profissional: é o campo mais importante. Não é aconselhável a frase “a critério da empresa”: pode ser que você transmita a imagem de que não sabe o que quer. Tente identificar quais as grandes áreas de atuação que lhe interessam.

Trajetória profissional: inclua apenas o que for relevante e que reflita suas aptidões.

Atualização: o currículo tem que ser o mais atualizado possível, trazendo cursos, experiências e objetivos. Um currículo atualizado pode gerar mais oportunidades de entrevista.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário