As perguntas que você deve fazer antes de iniciar a busca por um emprego

O Globo

A busca por um emprego não é nada fácil. É preciso tempo, paciência e muito emprenho. E quem decide entrar nesta empreitada, deve, antes de tudo, reservar um tempo para refletir sobre o que realmente quer e como chegar lá, para não acabar fazendo uma escolha errada.

— Antes de iniciar sua busca, faça a você mesmo algumas perguntas que o ajudarão a obter uma imagem mais clara do que está procurando, quais as habilidades que você possui e podem contribuir para a empresa e que tipo de trabalho pode ajudá-lo a alcançar seus objetivos de carreira — afirma Debra Auerbach, colaborada do site CareerBuilder.com e autoria do blog The Buzz Work.

Especialista em gestão de carreira, tendências de contratação e questões ligadas ao mundo corporativo, Debra listou alguns exemplos de perguntas a serem respondidas pelo profissional antes de se aventurar na busca por um novo emprego e ouviu a opinião de outros especialistas. Confira:

Por que eu estou começando a procurar um trabalho?

Esta deve ser a primeira pergunta a ser feita a si mesmo. Chegar à raiz do motivo pelo qual você está procurando um emprego pode ajudar a determinar se você o está fazendo pelos motivos certos.

“Se você é recém-saído da escola ou universidade ou está desempregado, não há nenhum problema. Mas e se você está empregado e apenas descontente com o que vem fazendo?” , questiona Bruce A. Hurwitz, presidente e CEO da Hurwitz Strategic Staffing. “Eu tive vários clientes que vieram me consultar, acreditando que queriam um novo emprego, mas, na verdade, tudo o que queriam eram novas responsabilidade e desafios. Acabaram ficando em suas empresas, têm hoje novas tarefas e, tanto eles como seus patrões, estão bastante felizes”.

Que valor único posso trazer para meus potenciais empregadores?

O profissional que se preocupa apenas em atender aos requisitos básicos de um trabalho acaba sendo tratado como uma mercadoria, alerta Kimberly Robb Baker, estrategista em recrutamento. Em vez disso, o profissional precisa pensar sobre o que o torna único e atraente para os potenciais empregadores.

Em que tipo de cultura corporativa eu quero trabalhar?

“A cultura corporativa é um fator importante e deve ser levada em consideração não só quando se contempla uma oferta de emprego, mas também no momento de se candidatar a uma vaga”, afirma Jesse Siegal, diretor-gerente sênior e especialista em recrutamento da empresa Execu-Search. “Por isso, antes de se candidatar a empregos, você precisa levar algum tempo refletindo sobre o que está procurando em um local de trabalho”.

Segundo ele, a pessoa deve se perguntar, por exemplo, se gostaria de trabalhar em uma empresa que permita adotar um horário flexível; se tem necessidade de trabalhar por longas horas em um ambiente competitivo; ou se prefere trabalhar em equipes colaborativas ou de forma independente. Depois de ter essas respostas, você terá uma ideia melhor sobre o que observar e que perguntas fazer ao empregador para saber mais sobre a cultura corporativa de uma organização.

Em que pontos posso ser flexível?

Embora seja bom pensar qual seria o trabalho ideal para você, é mais realista considerar o que seria “bom ter”’ e o que “eu preciso ter”’, já que nenhum trabalho será perfeito. Segundo Laurie Berenson, estrategista de carreira e presidente da Sterling Career Concept LLC, isso irá ajudar o profissional a decidir-se por uma ou outra oferta de trabalho. Função? Localização? Carga horária? Salário? O que realmente importa no momento e que fatores você pode negociar ou abrir mão. “Talvez você esteja dispisti a assumir um salário baixo para entrar no setor desejado. Priorize o que realmente é importante para você”, aconselha.

Onde eu quero chegar, em última análise, em minha carreira, e quais os passos que eu tenho que dar para chegar lá?

Laurie Berenson completa que a maioria das pessoas precisa ocupar várias posições ‘para chegar ao seu objetivo final”. Isto, diz ela, é especialmente verdadeiro para os candidatos mais jovens.

“O trabalho que você aceitar amanhã pode não ser o seu emprego dos sonhos, mas se for em sua área ou setor desejado ou em uma empresa respeitável, considere-o como um trampolim para alcançar o que você quer de verdade”.

Deixe um comentário