Para evitar o trânsito de Londres, jornalista decide remar até o trabalho

O Globo

O jornalista Peter Kimpton tem uma rotina bastante agitada: além de escrever sobre música, cinema, livros, viagens e sociedade, ele passa muito do seu tempo editando artigos nos jornais The Guardian e no Observer. Também é músico, dramaturgo e ciclista, e tem uma vasta experiência em publicidade e direitos autorais. Com tantos afazeres e tendo que trabalhar com prazos apertados, o tráfego pesado das ruas de Londres era um grande problema em sua rotina. Inspirado por uma campanha do Canal & River Trust (CRT), na qual a população era incentivada a usar e desfrutar dos canais da Grã-Bretanha no dia a dia, Kimpton decidiu unir o útil ao agradável: vai para o trabalho remando pelo rio Lea, em Hackney. Ao mesmo tempo em que se exercita, ele chega ao escritório menos estressado, pois consegue driblar os engarrafamentos matinais tão comuns às grandes cidades, conta em artigo publicado no The Guardian.

A viagem através dos rios e canais de Hackney de onde mora até a sede do The Guardian, em King’s Cross, em Londres, é de oito quilômetros. No trajeto, é possível curtir a natureza, o que, com a correria do dia a dia, muitas vezes é algo impossível. Segundo o jornalista, a apenas um minuto de sua casa, perto de Springfield Park, o Rio Lea é frequentado por cisnes, gansos, garças e patos. Além disso, é possível observar várias casas flutuantes e curtir a paisagem local.

Kimpton segue de sua casa na direção sul, passa por Hertford e Union Canal, entra no Regent’s Canal e segue direto até o trabalho, sem precisar trafegar por nenhuma estrada. A maior preocupação é o fato de ainda ter pouca experiência em canoagem e de nunca ter percorrido uma distância tão grande. Mas depois de um dia estressante ou uma noite mal dormida, a expectativa de desfrutar de uma bela manhã remando, sem o som de buzinas, é compensador, ressalta o jornalista.

Embora admita que um deslocamento diário tão longo, como o de sua casa até o centro de Londres, não seja realista para a maioria das pessoas, ele acredita que praticar canoagem até o trabalho em distâncias mais curtas seja uma opção bastante viável.

“Nossos cursos d’água são um recurso maravilhoso para se deslocar, seja de barco, de bicicleta ou a pé. Por isso, a partir de agora, vou continuar praticando e apoiando esta ideia. São museus vivos que atravessam nossas cidades, e devemos fazer o melhor para preservá-los”, afirma.

Deixe um comentário