Os piores chefes das novelas

O Globo

Ao assistirmos filmes ou novelas, muitas vezes nos deparamos com chefes que abusam do poder, espelhando os perfis de patrões que encontramos na vida real. E são justamente essas semelhanças com a realidade que fazem com que estes chefes fictícios façam tanto sucesso. O Boa Chance listou alguns chefes de novelas que ficaram marcados por sua postura autoritária ou até por praticar bullying com seus funcionários. Você se lembra de alguns desses personagens?

Félix Khoury Amor à vida

O personagem, vilão da atual novela das 21h da Rede Globo e interpretado pelo ator Mateus Solano, caiu nas graças do público. Mas, no início da trama, o que chamava atenção eram as maldades que praticava para se dar bem e conquistar a presidência do Hospital San Magno. No posto de diretor da clínica e, depois, como presidente, além das falcatruas e desfalques que armava, ele era visto como um chefe tirano, que praticava assédio moral com seus funcionários, os menosprezando e fazendo comentários venenosos sobre quem estivesse a seu redor. Seu alvo principal era a secretária Simone (Vera Zimmermann), chamada pelo patrão de cadela. Desmascarado, Félix passa por maus bocados e começa a rever seus conceitos, tanto na vida profissional como na pessoal.

Felipe Barreto O dono do mundo

Um dos maiores cirurgiões plásticos do Brasil, o personagem vivido por Antônio Fagundes era dominador e se acostumou a dividir o mundo entre vencedores e perdedores, e lutou para conquistar seu espaço entre os primeiros. É o retrato do vencedor que despreza o que considera “o comum dos mortais”, embora seja suficientemente esperto para esconder esse desprezo. Além da forte devoção à carreira, é muito apegado ao glamour do mundo dos ricos. Felipe se sente o dono do mundo, o todo-poderoso, capaz de conseguir qualquer coisa, seja profissionalmente ou na vida pessoal. Para isso, passava por cima da ética e não se importava com os sentimentos dos funcionários de sua clínica.

Chayenne Cheias de charme

A cantora exuberante e sensual era também a terrível patroa de Penha e Rosário. Para fazer valer suas vontades e planos, a estrela do eletroforró, interpretada por Cláudia Abreu, passava por cima de valores éticos e ”judiava” também de seus assessores artísticos, que sofriam o diabo em suas mãos. Enquanto “Cheias de charme” estava no ar, ela foi odiada por todas as empregadas do Brasil por maltratar suas auxiliares domésticas.

Lívia Salve Jorge

Mulher sofisticada, inteligente, ágil, de aparência confiável e acima de qualquer suspeita. Apresentava-se como agenciadora de talentos artísticos com contatos preciosos no mundo da moda e do show business. Em função dessas atividades, costumava passar longas temporadas fora do Brasil. Na realidade, era agenciadora do tráfico de pessoas. Vilã da trama, a empresária, interpretada por Claudia Raia, pregava a unidade da equipe, mas era a primeira a tirar o time de campo e colocar em risco seus colaboradores quando ela e seus negócios se viam ameaçados.

Tereza Cristina Fina Estampa

Socialite, casada com o chef Renê (Dalton Vigh), era herdeira da fortuna dos pais e sempre preocupada em manter o nome e a honra da família, ocupando seu tempo com as mais requintadas formas de gastar dinheiro. Não gostava de subalternos, mas, embora maltratasse e abusasse de seu mordomo Crô (Marcelo Serrado), não vivia sem ele.

Ernest Hauser Joia rara

De origem suíça, é o poderoso dono da joalheria e da fundição Hauser. Inescrupuloso e conservador, Ernest, interpretado pelo ator José de Abreu na atual novela das 18h, é conhecido por explorar os trabalhadores da empresa. Viúvo, criou os filhos de acordo com seus valores e traçou planos bem definidos para todos eles – quer que o primogênito Franz (Bruno Gagliasso) seja seu sucessor nos negócios. Quando deseja alguma coisa, não deixa nada impedi-lo de conquistar seus objetivos.

Francisco Monserrat Direito de amar

O poderoso banqueiro apaixonado por ópera é o vilão da história. Monserrat, interpretado por Carlos Vereza, é um homem com ideias monarquistas arraigadas, conservador, autoritário e de temperamento mutante. Não admite ser contrariado, principalmente por seus empregados, em casa ou no banco.

Renato Mendes Celebridade

O editor da revista Fama, conhecidíssimo colunista de variedades e cotidiano, tinha grande influência na vida social da cidade. Intrigante, sarcástico, venenoso, refinado, culto e inteligente, conhecia a vida de todos, e usava esse conhecimento para manipular quem lhe convinha, inclusive na vida profissional. Renato Mendes (Fábio Assunção) era sempre surpreendente. Sobrinho do poderoso Lineu Vasconcelos (Hugo Carvana), ambicionava herdar a presidência do grupo, sendo antagonista de Fernando (Marcos Palmeira), a quem via como uma ameaça a esse projeto.

Deixe um comentário