Nove (maus) hábitos que podem lhe custar o emprego

O Globo



Mentir, ficar enrolando e adiar suas tarefas, chegar sempre atrasado, ficar o tempo todo nas redes sociais. Esses e outros hábitos acabam prejudicando a imagem de qualquer profissional, seja diante do chefe, como de colegas e clientes, e podem, inclusive, colocar um ponto final em sua trajetória na empresa. A convite da Forbes, especialistas em RH listaram quais atitudes e hábitos são consideradas falhas graves na visão de empregadores e do mercado em geral. Confira:

Procrastinar — De acordo com Katharine Brooks, diretora do Liberal Arts Career Services, da University do Texas, este hábito pode prejudicar seriamente o profissional em um ambiente de trabalho. “Se você é daquelas pessoas que deixam o trabalho para o último minuto ou adiam os projetos até a data final de entrega, não tem noção de como sua atitude pode sobrecarregar seus colegas de trabalho e afetar as metas da empresa”. E, diz a especialista, se seu hábito de ficar adiando seus compromissos requer que outros se esforcem e trabalhem mais rapidamente, certamente irá enfurecer seus companheiros de equipe. Além disso, afirma Katharine à Forbes, você será o primeiro a ser apontado como culpado quando um projeto falhar ou não for concluído dentro do prazo.

Mentir — Mentir sobre suas credenciais e qualificações, plagiar intencionalmente os trabalhos de colegas, abusar dos gastos do cartão de crédito corporativo ou roubar os elogios pelas realizações de outros colegas podem custar seu emprego. Ou, no mínimo, sujar sua imagem dentro da empresa. “O melhor caminho para colocar um ponto final súbito em sua carreira é ter o hábito de falar mentiras, sejam de pequeno ou grande porte. A desonestidade é uma ladeira escorregadia com um acidente devastador no final”, alerta Ann Kaiser Stearns, Ph.D. e psicóloga, à revista.

Ser negativo — Muitos de nós temos o hábito de fofocar, lamentar ou reclamar. Mas praticar qualquer um deles com frequência no ambiente de trabalho, além de incômodo — quem é que aguenta aquele cara que fica o dia inteiro reclamando? —, pode colocar seu emprego na corda bamba. “Qualquer uma dessas atitudes levam ao mesmo resultado final: você acaba se tornando uma dor de cabeça para seu gestor”, afirma Amy Hoover, presidente da Talente Zoo, à Forbes. Lembre-se que seu chefe é responsável por garantir que sua equipe contribua para um astral positivo. Funcionários negativos são vistos como “um câncer” pela direção da empresa por uma boa razão: vão acabar sendo extirpados. “Uma boa abordagem, caso tenha algo a reclamar, é falar diretamente com seu gestor, de preferência em particular”.

Chegar sempre atrasado — Se você chega constantemente atrasado ao trabalho ou volta tarde do almoço, por exemplo, passa uma imagem de falta de cuidado, diz Roxanne Peplow, instrutora e consultora do programa de carreira para alunos do Computer Systems Institute. “Seja pontual ou até chegue mais cedo para mostrar que está consciente do horário e que se preocupa com seu trabalho e com o tempo das outras pessoas. Chegar atrasado mostra desrespeito ao contrato social que assinou ao ser contratado, bem como com aqueles colegas que se esforçam para chegar no horário”, completa Roxanne no site da revista Forbes.

Vício em acessar as redes sociais — Outro caminho para a perda do emprego é a obsessão que muitos funcionários têm com as mídias sociais, diz Ann Kaiser Stearns. “Se você diz que acessar o Facebook 20 vezes por dia não interfere no seu trabalho, está mentindo”, diz a psicóloga. Algumas empresas têm tomado medidas para monitorar ou limitar o uso das redes sociais por seus funcionários, enquanto outros têm bloqueado esses sites completamente. Então, cuidado: passar muito tempo em redes sociais ou outros sites não relacionados a seu trabalho pode lhe custar o seu emprego.

Ter maus hábitos de linguagem corporal — Você normalmente revira os olhos? Tem um aperto de mão fraco? Evita fazer contato visual? Estes são hábitos que podem acabar com sua carreira, segundo a Forbes. “As pessoas precisam entender que as ações podem falar mais alto que as palavras. A maioria de nossa comunicação é feita através de sinais não-verbais“, explica Roxanne Peplow. Segundo ela, as pessoas poderiam classificar alguns de seus hábitos não-verbais como rudes ou não-profissionais, e podem inclusive ter um impacto significativo no avanço de sua carreira.

Apresentar vocabulário pobre — “Quando você ouve alguém usando vocabulário pobre, com erros gramaticais, gírias ou palavrões, isso acaba passando uma imagem de que a pessoa é ignorante”, completa Roxanne. Lembre-se: você não está em casa ou batendo um bate-papo com amigos na mesa do bar. Seja cuidadoso com sua linguagem, lembrando que sua voz está ao alcance do seu chefe.

Síndrome do lobo solitário — Você tem o hábito de sempre querer fazer as coisas por conta própria? Isso não vai funcionar num escritório. “Embora a independência seja importante em algumas situações ou quando a concentração é necessária para finalizar um projeto, geralmente, as pessoas que sabem trabalhar em equipe têm mais sucesso no trabalho”, diz Katharine Brooks. O trabalho em equipe envolve uma série de comportamentos positivos, incluindo dar crédito a quem é de direito (isto é, não assumir o crédito quando outro colega fez o trabalho), ajudar os outros sempre que possível, assumir tarefas que não são, necessariamente, sua obrigação etc. “Se você não é visto como um bom jogador da equipe, não vai ter o apoio de seus colegas quando surgir algum problema”.

Ter temperamento explosivo — Se você perde facilmente o controle, presume-se que não consegue trabalhar bem sob pressão ou lidar com grandes responsabilidades, afirma Roxanne à Forbes. “Tente utilizar técnicas de redução de estresse, como a meditação ou a prática de exercícios de respiração profunda, e nunca leve problemas pessoais para o trabalho”, aconselha a especialista.

Deixe um comentário