Na C&A dá para fazer trabalho voluntário durante expediente

exame

Uma vez por mês, o funcionário da C&A que participa do voluntariado da empresa pode se dedicar às visitas, campanhas e ações do programa durante o expediente de trabalho.

Divididos em grupos, mais de 4,5 mil empregados da C&A, que tem 20 mil funcionários ao todo, participam de diferentes iniciativas do Voluntariado do Instituto C&A. Alguns grupos vão uma vez por semana, outros a cada quinze dias, podendo chegar até a uma visita por mês por voluntário.

“O grupo atua dentro do expediente comercial da C&A e também em seu tempo livre. A cultura de trabalho voluntário compõe-se de ações em várias frentes: em campanhas emergenciais e humanitárias, em projetos de educação infantil, na defesa do direito de brincar da criança, em práticas de mediação da leitura e na implementação de ações sociais diversas”, diz a coordenadora do programa voluntariado do Instituto C&A, Daniela Pavan.

O foco, diz Daniela, são as instituições de educação infantil. “Creches e pré-escolas ligadas ao poder público ou de origem comunitária, que atendem crianças com até 6 anos de idade”, diz. O programa é parceiro de 115 organizações.

Motivação + desenvolvimento de competências = produtividade maior

Apesar de liberar mensalmente seus funcionários de suas atividades diárias, a motivação dos funcionários e o desenvolvimento de competências profissionais específicas acarreta em inegável ganho de produtividade.

“Os funcionários que são voluntários desenvolvem habilidades de comunicação, trabalho em equipe, gerenciamento de projetos, noções de planejamento de médio e longo prazos, inovação, criatividade, liderança”, diz Daniela.

É o que relata Paula Almeida, vendedora associada da C&A e voluntária no instituto. “Como eu hoje ajudo a planejar atividades que serão desenvolvidas, sinto que a liderança foi instigada. Também aprendi a lidar melhor com a diversidade e adversidade”, diz ela, há 7 anos na C&A e voluntária há 6 anos.

O voluntariado também tem sido uma atividade essencial para sua carreira, segundo o gerente do Centro de distribuição da C&A, Luís Cláudio Martão. “Tive oportunidade de aperfeiçoar o trabalho em equipe e exercer a liderança”, diz ele que é um dos líderes dos voluntários no centro de distribuição. Além disso, Martão diz ter crescido como pessoa. “Desenvolvi habilidades comportamentais, aprendendo a compartilhar mais”, conta.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário