Lições que ajudam a melhorar o processo de seleção a uma vaga de emprego

O Globo



O processo de seleção para uma vaga representa desafios para as duas partes envolvidas: o candidato e o recrutador. Pequenos erros podem custar um emprego ou a chance de a empresa contratar o candidato ideal. Por meio de uma pesquisa feita com 5.518 profissionais em busca de um trabalho e 2.775 gerentes de RH, o site de carreira americano CareerBuilder listou algumas lições que se deve ter em mente antes de iniciar um processo seletivo.

Rosemary Haefner, vice-presidente de RH do CareerBuilder, diz que o estudo busca avaliar os comportamentos e diferentes percepções entre aqueles que ficam cara a cara na hora de uma entrevista de emprego. Essas diferenças, segundo ela, podem prejudicar ambos os lados:

— Às vezes, há um descompasso entre o que os recrutadores e os profissionais esperam de um processo seletivo.

Confira abaixo os conselhos do site americano para quem procura um emprego e para os recrutadores:

Para recrutadores:

— Esteja presente em dispositivos móveis. Pelo menos metade dos profissionais em busca de trabalho que possuem smartphones passam mais de três horas procurando vagas em dispositivos móveis, e 65% dos que o fazem desistem de um site que não esteja adaptado para o celular. Nestes casos, 40% ficam com uma impressão negativa da empresa.

— Reputação pode ser mais importante do que salário. Segundo o levantamento feito pelo CareerBuilder, mais da metade dos profissionais em busca de emprego (68%) aceitariam um salário menor se ficarem com uma boa impressão da empresa durante o processo seletivo. O mesmo acontece para empresas que são muito bem avaliadas por outros profissionais ou que tenham recebido atenção positiva da mídia recentemente.

— A marca do empregador é importante. Para 46% dos entrevistados, a marca da empresa tem um papel muito grande na hora de se candidatar a uma vaga.

— Os candidatos estão cada vez mais interessados em trabalhar em um lugar que ofereça equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Para 72% dos que responderam à pesquisa, oferecer horários flexíveis é um fator importante na hora de decidir por uma companhia.

Para quem procura emprego:

— Esteja preparado para falar com representantes da cúpula da empresa durante uma entrevista de emprego. Segundo a pesquisa, 38% das empresas fazem os candidatos passarem por entrevistas com executivos ou outros representantes da diretoria.

— Conheça seu público. Procurar emprego em empresas que tenham o seu perfil não é o suficiente, é importante mostrar aos recrutadores que você sabe disso, que fez o dever de casa, pesquisando dados sobre a companhia e o negócio. Quase um quarto dos gestores de RH (23%) desistem de candidatos que não pareçam estar alinhados com a cultura da empresa, e 18% eliminam do processo aqueles com expectativas salariais altas demais.

— Fique atento a seu perfil e ao que posta na internet. Faça uma limpa no que pode prejudicar as chances de conseguir um emprego antes de começar um processo seletivo. Segundo a pesquisa, 48% dos recrutadores usam o Google para procurar o nome dos candidatos, 44% pesquisam a pessoa no Facebook e 27% monitoram a atividade do profissional no Twitter.

— Não se esqueça que etiqueta é importante. Além de causar uma boa impressão durante a entrevista, é importante reforçá-la depois. Mais da metade (58%) dos recrutadores dizem que é essencial entrar em contato com a empresa após a conversa para agradecer pela oportunidade.

Deixe um comentário