Heineken dá cerveja a chefes que liberam equipe na Copa

Exame

Trabalhar ou assistir aos jogos da Copa? Para tentar acabar com o conflito silencioso que os fãs de futebol podem viver durante o mundial, a Heineken teve a ideia de lançar uma campanha para convencer quem manda no assunto, os chefes.

Como persuadí-los? Com cerveja. A promessa da campanha – que no momento acontece só nos Estados Unidos- é premiar as empresas que liberarem os funcionários com cervejas geladas da marca como recompensa.

A mensagem é contada, de chefe para chefe, num vídeo gravado pelo diretor de marketing da empresa nos Estados Unidos, o português Nuno Teles.

No filme, Teles explica a “situação complicada” que a Copa representa. “Somos forçados a sair para o almoço e depois assistir aos jogos em nosso computador quando ninguém está vendo?” pergunta o executivo. A legenda no próprio vídeo responde: “Sempre tem alguém vendo”.

E como a Copa é “um momento mágico que só acontece de quatro em quatro anos” (e só volta em 2018, se sua seleção se classificar, lembra o vídeo) a empresa pede para os gestores decretarem folga às equipes. O movimento foi batizado de “Brazillian no show”, ou folga brasileira, em tradução livre.

A ação da Heineken, assinada pela agência Wieden+Kennedy de Nova Iorque, é mais um exemplo da “febre da Copa do Mundo” vivida pelos americanos. O torneio parecer ter ajudado o futebol a finalmente entrar no radar, com a explosão de vendas de artigos do esporte no país.

Nesta quinta-feira, por exemplo, os torcedores do país derrubaram o site da ESPN tentando assistir ao jogo entre Estados Unidos e Alemanha. Como estão em horário de trabalho e não podem assistir pela TV, eles optaram pelo site, que não suportou o volume de acessos e caiu.

Assista ao vídeo da campanha. As legendas podem ser ativadas em inglês:

Deixe um comentário