Facebook construirá condomínio para empregados. Apês serão vendidos a preço de mercado

O Globo



O amplo campus do Facebook, em Menlo Park, na Califórnia, é tão repleto de regalias que alguns funcionários podem simplesmente não querer voltar para casa. Em breve, eles terão esta opção. No início do mês, a rede social anunciou que está trabalhando com uma incorporadora local para construir um condomínio residencial de US$ 120 milhões e 394 unidades, a uma curta distância de seus escritórios. Chamado Anton Menlo, a propriedade de cerca de 58.500 metros quadrados vai incluir todo o tipo de regalia, desde um bar para fãs de esportes até uma creche para cachorros.

Mesmo no Vale do Silício, onde empresas de tecnologia competem para atrair engenheiros cobiçados com regalias extraordinárias e escritórios que lembram playgrounds para adultos, o plano do Facebook é inovador. No entanto, em entrevista ao The Wall Street Journal, uma porta-voz da empresa disse que a retenção de funcionários não é o maior objetivo do investimento imobiliário.

“Estamos certamente animados para ter mais opções de moradia próximas ao campus, mas acreditamos que as pessoas trabalham no Facebook porque o que elas fazem é gratificante e acreditam na nossa missão”, disse ela, acrescentando que alguns funcionários perguntavam sobre lugares para morar perto do campus corporativo, já que há um déficit habitacional em Menlo Park, e os preços dos imóveis estão disparando no Vale do Silício e em San Francisco.

O projeto do Facebook evoca memórias das chamadas “cidades-empresas” da virada do século XX, onde operários americanos viviam em comunidades pertencentes ao empregador, que fornecia habitação, saúde, segurança, igreja e quase todos outros serviços necessários. Mas os planos do Facebook estão muito longe de reproduzir essas cidades corporativas de trabalhadores da metalurgia e mineração de um século atrás. Não se espera que os funcionários do Facebook trabalhem lá durante suas vidas inteiras. E a comunidade fechada só terá capacidade para abrigar no máximo 10% dos empregados da empresa em Menlo Park.

Para construir a vila habitacional, uma equipe do Facebook trabalhou com a St. Anton Partners, uma construtora da área de San Francisco, para criar um ambiente que reflete a atmosfera do campus corporativo da rede social, onde funcionários são incentivados a se socializar e compartilhar ideias.

Os apartamentos terão preços de mercado e uma parcela deles será reservada a moradores de baixa renda. Todos, com exceção de 15 das unidades, estarão abertos a empregados de outras empresas.

“A vantagem desse projeto é que ele é extremamente perto do nosso campus”, diz John Tenanes, diretor de imóveis do Facebook e arquiteto envolvido no projeto.

Segundo ele, o trajeto do condomínio até a sede da rede social “será um passeio de bicicleta de cinco minutos” ao longo de uma ciclovia que será construída margeando a baía de San Francisco.

Além do bar e da creche para cachorros — com spa, serviços de passeio e parque —, o novo condomínio terá lojas de conveniência e um café; loja para consertos de bicicletas com espaço para armazená-las; terraços para entretenimentos, com três áreas temáticas; áreas de lazer inspirada em um resort, com piscinas e spa; e academia de ginástica, com espaços ao ar livre e salas para aulas de ioga e personal trainners.

Mais campus universitário do que escritório

Um dos objetivos corporativos do Facebook é cuidar de tantos aspectos da vida de seus funcionários quanto possível — e agora isso inclui a moradia. Eles não precisam se preocupar com transporte — há um ônibus para isso. Lavanderia e lavagem a seco? A empresa já oferece, assim como cabeleireiros, aulas de marcenaria e manutenção de bicicletas.

A ideia dos executivos do Facebook é que a sede da empresa se pareça mais com um campus universitário do que com um escritório. O complexo numa área de 23 hectares, inaugurado em dezembro de 2011, em breve será conectado a uma nova ala, projetada pelo arquiteto Frank Gehry. Há uma estrada de asfalto que serpenteia pelo centro do campus onde os empregados passeiam de bicicleta.

Ao longo do dia de trabalho, os programadores se reúnem com desenvolvedores de produtos de publicidade tomando café ou sorvete de graça, caminhando entre esculturas e lojas, ou tomando sol em gramados e bancos nos vários jardins do complexo. Há ainda o dia dos jogos na empresa, quando os funcionários participam de gincanas esportivas. À noite, eles veem filmes num telão instalado ao ar livre, numa praça no meio do campus.

Deixe um comentário