Cinco sinais de que você corre risco de ser demitido

O Globo

Crise econômica, queda das vendas, perda de investimentos, excesso de pessoal, seja lá qual for a justificativa, quantos já não passaram ou ouviram histórias de pessoas próximas que foram demitidas de maneira inesperada. A surpresa, num primeiro momento, provoca revolta e principalmente perplexidade.

No entanto, afirma o consultor em gestão de pessoas, Eduardo Ferraz, uma demissão nunca deveria ser inesperada, já que, diz ele, sempre existem sinais claros quando a situação no trabalho não caminha bem.

— A grande maioria dos profissionais demitidos leva um susto e se sente surpreendida. Esta falta de percepção agrava ainda mais um problema que não é pequeno, já que se perde um tempo precioso até o profissional assimilar o golpe de ser mandando embora e se preparar para tentar a recolocação.

Ferraz afirma ainda que pessoas cotadas para demissão recebem alguns sinais, nem sempre explícitos, mas que deveriam ser analisados antecipadamente:

Profissionais que estão em alta são elogiados com alguma frequência, são chamados a participar de vários projetos e são cobrados por alto desempenho, inclusive com críticas. O primeiro sinal de alerta é quando a pessoa para de ser criticada e começa a ser ignorada.

Ferraz listou alguns pontos que são indicativos certos de que o profissional corre grave risco de ser demitido. Confira:

Resultados ruins – Ficar abaixo da meta por mais de seis meses significa sinal amarelo, principalmente se a maioria das pessoas da mesma área tiverem alcançado bons resultados.

Relacionamento ruim – Dependendo do cargo, não adianta ter um ótimo currículo e dominar a técnica, mas ter um relacionamento ruim com o grupo de trabalho. Pessoas individualistas acabam sendo mau vistas pelos colegas, o que gera um clima ruim para a pessoa permanecer no emprego.

Ser ignorado – Pior que receber um feedback negativo é não receber feedback nenhum, ser ignorado. Quando a situação chega neste nível, o ideal é chamar o chefe para uma conversa franca, perguntar em que áreas você precisa melhorar e se mostrar disposto para reverter este cenário.

Má situação financeira da empresa – Conjuntura econômica ruim, aumento de dívidas, atraso no pagamento a fornecedores, maus resultados no balanço da empresa representam riscos óbvios.

Ficar muito tempo estacionado – Um profissional que não recebe aumentos, não é convidado para treinamentos e não recebe novos desafios, tende a se acomodar e acaba correndo sérios riscos de ser descartado.

Deixe um comentário