Após aquisição, esta empresa promoveu quase 30% dos seus estagiários

A empresa ficou entre as Melhores Empresas para Começar a Carreira em 2018 e possui 53% de sua liderança composta internamente


A Reydel, fabricante de painéis e controles de automóveis, valoriza as pratas da casa. Um exemplo disso é que, em 2016, quando foi adquirida pelo grupo alemão Samvardhana Motherson, a companhia promoveu cerca de 30% de seu quadro de estagiários.

A formação de sucessores é algo recorrente na empresa, que possui 53% de sua liderança composta internamente. E esse reconhecimento começa desde cedo. Por lá, cerca de 20% dos estagiários e 70% dos jovens aprendizes são efetivados.

“A companhia sabe explorar o potencial de cada um”, diz um jovem. A Reydel fornece um subsídio de 500 reais para cursos de graduação, pós-graduação e MBA e um desconto de 50% em aulas de idiomas.

A ausência de barreiras internas é bastante elogiada e, para fortalecer a comunicação, o presidente Pierre d’Archemont realiza semestralmente uma reunião com os 503 funcionários.

Como complemento, todos os dias os gestores devem conduzir um diálogo com suas equipes. A autonomia dos funcionários e a valorização de suas ideias também agradam.

Um dos destaques é o programa P-20, em que os empregados que veem possibilidade de redução de custos recebem até 2% do valor poupado — desde sua criação, a iniciativa conseguiu economizar mais de 12 milhões para a empresa.

PONTOS POSITIVOS

A sala de jogos e o restaurante da organização são bastante elogiados pelos jovens. Segundo eles, o crescimento da companhia e o clima de cooperação também são motivo de orgulho.

PONTOS NEGATIVOS

Os funcionários pedem a formalização do horário flexível e mais vagas de estacionamento. A realização do open house com mais frequência também é uma demanda dos profissionais.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário