Animais de estimação alegram ambientes de trabalho

O Globo

Nos Estados Unidos, é comum que empresas permitam que os funcionários levem seus bichos de estimação ao escritório — quando não o fazem regularmente, estabelecem um dia em que os animais são bem-vindos no ambiente de trabalho. No Brasil, embora a prática ainda não seja tão comum, existem alguns empresários que levam seus bichinhos para o escritório, onde acabam virando mascotes e fazendo sucesso entre os funcionários.

Natália Leal leva o border collie Louis, de 2 anos, pelo menos três vezes por semana para trabalhar com ela na marmoraria Heitália, da qual é proprietária. No começo, o cão era um pouco arredio, mas, hoje, se dá bem tanto com funcionários quanto com clientes, que sempre perguntam por ele quando não está.

— Essa interação é boa para o animal, para o dono e para todo mundo que trabalha também. Geralmente as pessoas gostam de bichos — diz Natália, que é a única a levar o bichinho para o escritório, embora a empresa permita que os funcionários façam isso. — Não seria problema nenhum se mais gente quisesse trazê-los.

O Google, que é famoso por ser uma companhia dog-friendly, tem, inclusive, uma política específica sobre animais no trabalho. A regra diz: “A afeição do Google por nossos amigos caninos é uma faceta de nossa cultura corporativa. Nós gostamos de gatos, mas somos uma ‘empresa canina’, por isso, como regra geral, acreditamos que gatos que visitarem nossos escritórios podem ficar bastante estressados”.

Dona do pet shop Club Pet, no Leblon, Fabiana Elkind tem o hábito de ir trabalhar com Julie, sua cachorrinha da raça bichon havanês, três vezes por semana. Assim, Fabiana aproveita para passar mais tempo com seu animal de estimação, bem como a cadela tem a oportunidade de socializar com outros animais, os “clientes pet”, como Fabiana os nomeia.

— As empresas, independentemente do ramo de atuação, deveriam permitir a frequência de animais de estimação no trabalho. É a tendência atual: inclusive, já vemos essa possibilidade em outros países no ambiente hospitalar e em asilos. O amor que o animal nutre por seus donos é tão intenso, verdadeiro e incondicional, que nos ajuda a lidar com nossos problemas cotidianos, além de tornar nosso dia a dia mais leve e feliz — acredita Fabiana.

Mas não são apenas os cães e gatos que dão pinta nos ambientes de trabalho. Dono da marca de roupas Carambola, Guilherme Spitz decidiu levar Milk, seu pássaro da espécie calopsita, para o escritório — inclusive, na próxima coleção, Milk vai inspirar algumas estampas.

— Como é um pássaro doméstico, levamos Milk para o escritório para deixar o ambiente mais leve, mais feliz, e lá ele fica passeando pela mesa, alegrando o ambiente, e fazendo o tempo passar mais rápido — conta Spitz.

A presença de animais dentro das empresas requer, porém, algumas regras. O movimento americano #PetsAtWork (animais de estimação no trabalho) lista algumas delas. Veja quais são:


  • Certifique-se de que seu bichinho é bem treinado e fica confortável perto de pessoas e outros animais;
  • Pergunte aos colegas se alguém tem alergia ou medo;
  • Sempre pergunte se o animal é bem-vindo antes de entrar em um elevador cheio na empresa;
  • Certifique-se de que não estará com a agenda cheia com reuniões e encontros com clientes nos dias em que levar o companheiro para o trabalho;
  • Respeite as áreas em que o animal não deve entrar, como banheiros e lanchonetes e refeitórios.

Deixe um comentário