10 dados mostram o que o jovem brasileiro espera da carreira

exame

Generalizações sobre a geração Y são sempre problemáticas. Um dos fatores que proíbem qualquer estereótipo são as variações geográficas, por exemplo.

Para começar a falar de diferenças: de todos os jovens da América Latina, o brasileiro é o que menos acredita que as empresas deveriam contribuir mais para a sociedade.

Comparado aos vizinhos, ele é também o que mais confia que terá um padrão de vida melhor do que o de seus pais.

Os dados constam de um relatório da consultoria Universum sobre expectativas ligadas à carreira da geração Y em todo o mundo.

Entre maio e agosto de 2014, foram ouvidos 3.851 jovens na América Latina, dos quais 1.036 eram brasileiros. A idade dos entrevistados varia entre 18 e 30 anos.










Deixe um comentário